AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

0

0

0

0

Reforço da cooperação

O Brasil vai comprar Colômbia lanchas patrulha fluviais para os rios fronteiriços da Amazônia

04/05/2012

(Infodefensa.com) R. Caiafa, Sao Paulo - O Ministro da Defesa brasileiro, Celso Amorim, durante visita a Colômbia, informou a intenção de compra de quatro lanchas patrulha fluviais que serão empregadas na vigilância dos rios fronteiriços daquela região de selva amazônica. Juan Carlos Pinzon, ministro da Defesa colombiano, considerou a compra “Uma mensagem política muito importante para os dois países”. A parte a excelência do material colombiano, desenvolvido com a larga experiência de combate de selva adquirida pelas suas forças armadas na luta contra a narcoguerrilha, a aquisição destas embarcações mostra o endurecimento das ações de fronteira dos dois países.

Na atualidade, o Brasil lidera o desenvolvimento e domínio de várias tecnologias na América do Sul, e o governo da presidente Dilma Rousseff vem mantendo uma estratégia de operações militares em sistema de rodízio nas diferentes regiões de fronteiras brasileiras, visando coibir o contrabando, tráfico de drogas e armas, evasão de riquezas naturais, biopirataria e crimes ambientais. Com a cooperação de vários órgãos do governo federal, uma frente de ações de choque do estado chega a quarta edição da Operação Àgata.

Além disso, o Brasil vem se tornando fornecedor de armamentos para vários dos seus vizinhos, caso da Colômbia, que já utiliza, há muitos anos, blindados brasileiros Cascavel. Mais recentemente, a Força Aérea Colombiana transformou o A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, na principal arma que matou diversos líderes das FARC que se julgavam protegidos em bases escondidas na selva. Portanto, a compra de material colombiano pelo Brasil abre novas possibilidades para que os demais países sulamericanos também possam vender material militar de qualidade ao governo brasileiro e suas forças armadas.

Amorim também anunciou que o Brasil está interessado na construção de um modelo de barco patrulha em parceria com a Colômbia, para ser utilizado na Amazônia, projeto previsto para ser uma realidade em dezembro de 2014. Por sua vez, o ministro colombiano disse que na reunião foi discutido um "centro integrado único para a segurança na região amazônica", que pode incluir outros países interessados, incluindo Peru”.

Os projetos de cooperação de defesa entre os dois países também podem se estender à aviação militar, disse o brasileiro, já que Brasil e Colômbia "tem interesse" no desenvolvimento de um caça a jato, projeto que conta com a participação da Argentina, que atualmente desenvolve o jato de treinamento e ataque Pampa II.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje