Noticias
imprimir noticiaenviar noticia a un amigo

Programas paralelos

Marinha do Brasil confirma nova classe de corvetas

17/09/2012

(Infodefensa.com) R. Caiafa, Sao Paulo - Durante o lançamento de documentário histórico que retrata a luta da Marinha do Brasil (MB) na Batalha do Atlântico (2ª Guerra Mundial), o comandante da força, almirante Júlio Soares de Moura Neto, confirmou a decisão de se investir em uma nova classe de navios escolta projetados e construídos no Brasil, baseados na corveta Barroso (V34), que por sua vez, teve sua origem nas corvetas da classe Inhaúma.

Segundo informações de ALIDE, provisoriamente batizada como Classe Tamandaré (um dos mais famosos oficiais da história da Marinha do Brasil), a nova corveta de 2.400 toneladas de deslocamento surge como uma iniciativa do Ministério da Defesa visando manter a capacitação de construção naval militar de navios de superfície modernos e adequados para as necessidades da força. Enquanto a decisão sobre a escolha dos escoltas de 6.000 toneladas e de um navio multipropósito, o chamado PROSUPER, permanece em suspenso, o fato é que o governo brasileiro claramente busca complementar suas opções investindo na construção de navios com o máximo de itens nacionalizados e mais simples e baratos de operar, deste modo mantendo sua independência e flexibilidade de emprego.

A nova classe de corvetas Tamandaré (cinco planejadas) não concorre com, nem substitui, os moderníssimos escoltas de 6000 toneladas que constam do Prosuper, ambos os programas andarão em paralelo, segundo declarações do almirante Moura Neto “A decisão de deslanchar este novo programa deriva de um incentivo do Ministério da Defesa para alavancar a capacidade de projeto e a construção de navios de guerra modernos no país. As novas corvetas serão um projeto nacional, desenhado e construído por brasileiros no Brasil, e o processo de projeto da nova classe já foi iniciado".

Redes sociales
Temas relacionados

IDS, Información de Defensa y Seguridad © Todos los derechos reservados