AMÉRICA | Empresas
-/5 | 0 votos

0

0

0

0

Programas de reequipamento

Marinha do Brasil promoveu suas demandas de produtos e serviços às empresas

10/12/2012

(Infodefensa.com) R. Caiafa, Sao Paulo - A Prefeitura de São Bernardo do Campo, cidade localizada em importante pólo industrial brasileiro (a região do Grande ABC), em parceria com o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP/COMDEFESA), o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP-SBC) e a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE), promoveu a conferência "A Marinha do Brasil apresenta suas demandas de produtos e serviços às empresas do Grande ABC e como elas podem se tornar fornecedoras desta força".

Cerca de 500 empresários da região compareceram ao evento.  O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, discursa na abertura da conferência "assim como já realizamos com a cadeia produtiva de petróleo e gás, também queremos privilegiar nosso parque industrial neste segmento (Defesa)”. Marinho afirmou que o Brasil é o décimo país que mais investe no setor de Defesa no mundo - 37 bilhões de reais em 2011 - e, por isso, tem de aproveitar as oportunidades.

O almirante de esquadra Wilson Barbosa Guerra, secretário de Ciência Tecnologia e Inovação da Marinha "temos de fortalecer e tornar mais conhecida a indústria nacional de Defesa".

O diretor de Abastecimento da Marinha, vice-almirante Edesio Teixeira Lima Junior, enumerou os principais programas de reeequipamento da força, com ênfase no PROSUB e no PROSUPER, além da criação da 2ª Esquadra na região norte. O vice almirante (EN) Carlos Passos Bezerril, diretor do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, apresentou na sua palestra os avanços do Programa Nuclear da Marinha (PNM)

O capitão de mar e guerra João Domingos Talon, da coordenadoria geral do Programa de Submarinos com Propulsão Nuclear "Muitos dos fornecedores selecionados para o programa do submarino convencional também poderão fornecer ítens para o submarino nuclear".

O contra almirante José Ricardo Campos Vieira, assessor de logística da Diretoria de Abastecimento da Marinha "Para ser um fornecedor da Marinha, além de atender aos requisitos de qualidade especificados, é fundamental que os empresários tenham seus produtos catalogados". De rações de campanha até válvulas hidráulicas, passando por tubulações especiais ou simples calçados, a lista de demandas da Marinha do Brasil é muito diversificada, oferecendo ótimas oportunidades de negocios.

A solenidade contou com as presenças do almirante de esquadra Wilson Barbosa Guerra, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha, do diretor de Abastecimento da Marinha, vice-almirante Edesio Teixeira Lima Junior, do vice-almirante (EN) Carlos Passos Bezerril, diretor do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, do contra almirante José Ricardo campos Vieira, assessor de logística da Diretoria de Abastecimento da Marinha, do capitão de mar e guerra (RM1-FN) João Domingos Talon, coordenador geral do Programa de Submarinos com Propulsão Nuclear, do prefeito de São Bernardo, Sr. Luiz Marinho, e do secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo de São Bernardo, Jefferson José da Conceição.

O evento contou com palestras apresentadas pelas autoridades navais, versando sobre os principais programas de reequipamento da Força, suas potencialidades de negócios, aspectos de qualificação de fornecedores, sistemas de catolagamento de produtos, etc.

Encerrada esta etapa, foram abertas rodadas nas mesas de negociação entre oficias da Marinha responsáveis pelo setor de compras e empresas pertencentes à região, nos seguintes segmentos: metalmecânica, alimentos, têxtil, material cirúrgico-hospitalar e material de expediente, de limpeza, de marinharia e de combate a incêndio. O encontro atraiu cerca de 500 empresários, e teve como objetivo apresentar as oportunidades e demandas do setor para as indústrias da região.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo desenvolve, desde 2009, uma série de atividades para inserir o setor produtivo do município e do ABC no segmento de defesa. Entre as principais articulações nesse sentido figuram as viagens do prefeito à Suécia e à França em 2010, para conhecer os projetos concorrentes à licitação de 36 caças para a Força Aérea (FX-2), e inúmeros seminários com as empresas europeias concorrentes, que resultaram na inauguração do Centro de Inovação Sueco-Brasileiro (CISB) em 2011. A administração local trabalha ainda para instalar, em conjunto com o Ministério da Defesa, uma Agência de Catalogação no município, voltada a todo o Grande ABC.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje