AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

0

0

0

0

Transferência de Tecnologia

Acordo Brasil X Rússia apresenta novidades na área militar

19/02/2013

(Infodefensa.com) Sao Paulo - O avião russo de treinamento avançado e ataque leve Yak-130A poderá receber o radar brasileiro Scipio-01, produzido pela Mectron, subsidiária da Odebrecht Defesa e Tecnologia (ODT). O dispositivo foi projetado para ser empregado no caça bombardeiro Embraer A-1 AMX, em serviço ativo na FAB desde 1989 e atualmente sendo submetido a um extenso programa de modernização para uma frota de 43 aeronaves.

A negociação destes equipamentos e tecnologias está no contexto do acordo firmado entre Moscou e Brasília em dezembro, na Rússia, pela presidente Dilma Rousseff (veja nota). O termo principal envolve o fornecimento de três baterias do sistema de defesa antiaérea Pantsir S1, mais duas do míssil MANPADS (man portable air defense system) Igla 4/9K38, e a criação de uma joint-venture que produzirá essa arma no Brasil, envolvendo a Avibras, a Embraer Defesa e Segurança e a Odebrecht. A decisão final deverá ser anunciada na próxima semana, durante a visita do presidente Dimitri Medvedev ao Brasil.

Na mesma negociação, a agência russa de exportação de material militar Rosoboronexport oferece o pequeno jato de treinamento avançado e ataque leve Yak-130 para a FAB como um avião de transição entre o turboélice A-29 Super Tucano e as aeronaves de caças de primeira linha da Força. O Yak-130A é, na atualidade, a versão mais desenvolvida do modelo, e realizou seu primeiro voo em 2004. Logo a seguir, a aeronave foi adquirida pela aviação militar russa (VVS), que encomendou 72 unidades. Em 2011, a Irkut recebeu um pedido adicional de mais 65 jatos.

Cada Yak-130 custa em média US$ 15,3 milhões e cerca de 40 já foram entregues. O radar Scipio-01 interessa à Irkut, fabricante do Yak-130A, porque combina duas características, é compacto, ocupando mínimo espaço da seção frontal do nariz do avião com baixa demanda de ventilação e fornecimento de energia para sua utilização; e também porque opera de modo variado, seja em busca ar-ar, rastreamento ar-solo, localização de avião tanque, busca sobre o mar, mapeamento, telemetria, etc. Na prática, isso significa que o Scipio-01 pode identificar entre 4 e 8 objetivos, simultaneamente, e fornecer as soluções de engajamento para os 4 mais ameaçadores. Alvos aéreos de 5 m² de tamanho podem ser encontrados a 32 km de distância, e terrestres de 100 m², a até 80 km.

Defesa Antiaérea

Na segunda semana de fevereiro, uma comissão de técnicos russos esteve no Brasil acertando os detalhes da negociação sobre o sistema antiaéreo Pantsir S1, em São José dos Campos. O valor do negócio ainda está sendo definido, mas a imprensa dos dois países fala em até US$ 2,5 bilhões. O projeto foi montado pelo Estado Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), e prevê a aquisição de três baterias, cada uma sendo composta de seis carretas lançadoras de mísseis terra-ar com alcance de 20 km, e capazes de atingir alvos numa altitude de até 15 km, combinados com dois canhões duplos de 30 mm. Cada carreta transporta doze mísseis 57E6. O radar de detecção atua em um raio de 36,5 km e pode localizar e travar em até dez alvos por engajamento. O Pantsir S1 é fabricado pela empresa russa KBP.

Segundo o general José Carlos De Nardi, chefe do EMCFA “A melhor parte de todo o processo é que os russos aceitaram a demanda brasileira de que haja transferência de tecnologia e todo o conhecimento original do projeto do equipamento será aberto”.

rc/avs

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje