AMÉRICA |
-/5 | 0 votos

0

0

0

0

Paris Air Show

Thales recebeu a visita de parlamentares do Brasil para conhecer mais detalhes da proposta do satélite geoestacionario

20/06/2013

(Infodefensa.com) R. Caiafa, París - O projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC) do Governo brasileiro deverá definir em breve, entre três empresas finalistas, qual será a escolhida para tocar o programa e realizar as necessárias transferências de tecnologia (ToT) requisitadas pelo Brasil. Infodefensa Brasil está em Le Bourget, e em visita a Thales registrou a presença de uma comitiva de parlamentares da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDN) da Câmara dos Deputados.

Os deputados federais vieram a Paris conhecer mais detalhes da proposta da Thales Alenia Space para o SGDC, o pacote de transferência de tecnologias proposto pela empresa e as capacidades daquela organização para atender a demanda do governo brasileiro. Recepcionados por Cesar Kuberek, vice presidente Thales para América Latina, Julien Rousselene, diretor geral no Brasil, e Edgard Menezes, presidente da Omnisys, subsidiária Thales no País, os parlamentares puderam verificar as qualificações da Thales Alenia Space para atender ao projeto do SGDC, e principalmente, as contrapartidas de transferência de tecnologia incluídas na proposta do consórcio franco-italiano Thales Alenia Space.

Segundo Edgard Menezes, que conversou com Infodefensa Brasil no Pavilhão da ABIMDE, onde está o estande da Omnisys, o processo de ToT será muito consistente e incluirá diversas capacitações para atender as empresas do trade aeroespacial brasileiro. Estreando internacionalmente após uma exitosa participação na LAAD 2013, a Omnisys já possui um histórico de trabalho com radares de controle de tráfego aéreo (inclusive com exportações para a França), sistemas de guerra eletrônica para navios da Marinha do Brasil, componentes de payload MWT (subsistema de imagens e fotos) do Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS), dentre outras atividades.

Segundo Menezes, o perfil da Omnisys para a licitação do SGDC envolve principalmente serviços em solo e instalações relacionadas com o controle do satélite a partir da terra. A resposta ao Best And Final Ofer (BAFO) é esperada para o final deste mês de junho, e em julho o governo brasileiro deverá anunciar sua escolha entre as três empresas finalistas. Menezes destaca que "o parque espacial brasileiro precisa de encomendas para manter o conhecimento adquirido atuante, e por outro lado, os prazos para o desenvolvimento, testes e lançamento do SGDC são muito exíguos, o que demandará do consórcio escolhido uma grande agilidade e capacidade real de ToT para as empresas brasileiras.

Edgard também destacou o processo de "brasilização" da Omnisys, reforçando as características de uma futura conversão desta em uma Empresa estratégica de Defesa (EED), processo que deverá estar concluído até o final de 2013. Edgard também destacou o papel importante que a Omnisys poderá ter no Programa PROSUPER da Marinha do Brasil, e a atuação desta no PROSUB, onde é a responsável pela integração do sonar do submarino convencional S-BR, atualmente em construção no Estaleiro e Base Naval de Itaguaí, no Rio de Janeiro. Também foram citados os trabalhos de modernização de radares, sistemas de telemetria e servo atuadores nos Centros de Lançamento de Alcântara e da Barreira do Inferno, e os contratos com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais como o SIMO (Sistema de Monitoramento do Espectro Eletromagnético), cujo contrato vai até o final de 2014.

ABIMDE e APEX no Pavilhão Brasil

Presente na entrevista com Edgard Menezes, o almirante Pierantoni Gamboa, vice presidente da ABIMDE fez questão de destacar a exitosa participação brasileira no evento "Novas oportunidades de negócio estão sendo criadas, contatos comerciais importantes estão sendo agendados e a indústria brasileira de Defesa continua buscando novos nichos de mercado, como por exemplo, na África e Àsia.

Participar de eventos internacionais de grande porte como o Paris Air Show traz novas possibilidades para as nossas empresas associadas, e o apoio da APEX Brasil tem sido fundamental para o sucesso destas ações".

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje