AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

0

0

0

0

Amorim, na Argentina

Câmara aprova Política Nacional de Defesa, Estratégia Nacional de Defesa e Livro Branco

13/09/2013

(Infodefensa.com) Brasília - A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Decreto Legislativo 818/13, que contém os textos da Política Nacional de Defesa (PND), da Estratégia Nacional de Defesa (END) e do Livro Branco de Defesa Nacional (LBDN). A proposta foi encaminhada ao Congresso Nacional pelo Executivo em 2012, atendendo ao que estabelece a Lei Complementar 97/99, segundo a qual os três documentos devem ser enviados ao Legislativo a cada quatro anos, com suas respectivas atualizações. Na ocasião, exemplares dos documentos foram entregues pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, ao então presidente do Congresso, senador José Sarney (PMDB-AP). O texto, já aprovado pelo Senado, segue para a sanção.

Em viagem oficial a Buenos Aires, na Argentina, o ministro Celso Amorim comemorou a aprovação, pela Câmara, dos três documentos. Para Amorim “se trata de um fato muito importante para a defesa nacional”.

Amorim permanece em Buenos Aires nesta sexta-feira onde tem previstos encontros com os ministros da Defesa, Agustín Rossi, e das Relações Exteriores e Culto, Héctor Timerman. A agenda inclui também visitas ao Complexo Industrial Naval Argentino (CINAR) e ao Centro de Estudos Estratégicos de Defesa do Conselho de Defesa Sul-americano (CEED).

O governo federal afirma que os documentos marcam o compromisso do Estado brasileiro com os valores democráticos e com a defesa das instituições nacionais e da sociedade. Favorável à proposta, o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) disse que atualmente todas as nações desenvolvidas já adotaram o Livro Branco. Ele lembrou que o documento é uma espécie de carta de princípios, onde os países estabelecem quais são seus pontos de vista e estratégias em relação à defesa.

“Estamos atualizando a nossa estratégia de defesa e reafirmando a tradição do Brasil de país pacífico”, sustentou. “É uma ferramenta que mostra que nossa estratégia está baseada numa visão de defesa como uma forma de proteger nosso território, a população, a soberania e nossas riquezas, ou seja, para mostrar que pesamos a defesa como forma de assegurar o potencial dissuasório do país”, afirmou.

Documentos

A Política Nacional de Defesa é o principal documento de planejamento da defesa do país. Ele estabelece objetivos e diretrizes para o preparo e emprego da capacitação nacional, com o envolvimento dos setores militar e civil, em todas as esferas de poder.

A Estratégia Nacional de Defesa, por sua vez, pretende definir como fazer o que se determinou na PND.

Já o chamado Livro Branco de Defesa Nacional faz uma análise do contexto estratégico do século 21 para fornecer perspectivas de médio e longo prazo, além de destinar-se a subsidiar a elaboração do orçamento e do planejamento plurianual.

Na avaliação de especialistas militares, o livro atende a uma demanda internacional, uma vez que vários países já possuem documentos semelhantes. Segundo eles, o Livro Branco é uma ferramenta geradora de confiança mútua e funciona como um redutor de tensões, aumentando o nível de segurança do país.

Ainda de acordo com militares, apesar de expor publicamente os objetivos do Brasil na área de defesa e trazer dados estratégicos, orçamentários, institucionais e materiais sobre as Forças Armadas, o Livro Branco não fragiliza o sistema de defesa brasileiro. Isso porque, o documento aumenta a transparência sobre as reais intenções do país em termos de defesa e reforça o papel de cooperação, sobretudo na América do Sul.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje