AMÉRICA | Empresas
-/5 | 0 votos

0

0

0

0

Empresa nacional

Orbisat, com R$ 80 milhões de receita em 2013, agora é BRADAR

08/10/2013

(Infodefensa.com) R. Caiafa, São Paulo - A OrbiSat Indústria e Aerolevantamento S/A, empresa nacional de base tecnológica, especializada em radares de abertura sintética para sensoriamento remoto e aplicações de defesa e segurança, inicia agora uma nova fase de sua história e passa a se chamar BRADAR. A mudança representa a consolidação de um novo momento da empresa, iniciado há mais de dois anos, quando a OrbiSat passou a ser controlada pela Embraer Defesa & Segurança.

Nesse período, a empresa recebeu investimentos e fortaleceu sua capacidade industrial para o desenvolvimento de novos produtos, tornando-se uma das mais importantes e estratégicas empresas brasileiras na área de radares de vigilância e sensoriamento remoto. Além disso, a receita cresceu mais de 100% desde 2011 e, este ano, deve chegar a R$ 80 milhões.

Os centros tecnológicos da BRADAR contam com especialistas de diversas áreas, que hoje são responsáveis por desenvolver pesquisas e patentear um grande número de projetos de alta tecnologia. Ao todo, são mais de 200 profissionais distribuídos em duas unidades, em São José dos Campos e em Campinas, ambas no interior paulista. Nos últimos 24 meses, a BRADAR entregou 19 radares do modelo SABER M-60, além de desenvolver novos projetos e fechar novos contratos.

O radar M-60, por exemplo, desenvolvido em parceria com o CTEx (Centro Tecnológico do Exército), permite rastrear alvos em um raio de 60 quilômetros, transmitindo informações em tempo real para centros de Operações de Artilharia Antiaérea. Este ano, a BRADAR também realizou a venda de quatro radares SABER M-60 para FAB (Força Aérea Brasileira), dos quais o primeiro já foi entregue. Além disso, a empresa também participa de um dos mais importantes projetos anunciados pelo governo brasileiro: a implementação do Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras). No SISFRON, a BRADAR fornecerá radares do modelo SENTIR M-20 e outros subsistemas. O SENTIR M-20 é um radar terrestre capaz de executar missões de vigilância, aquisição, classificação, localização, rastreamento e exibição gráfica automática de alvos em terra, tais como indivíduos no solo, tropas, blindados e caminhões, entre outros.

Com isso, a empresa totaliza 22 radares vendidos em pouco mais de dois anos. Até o final de 2013, a Bradar deverá entregar outras três unidades para a Força Aérea Brasileira, que em abril deste ano adquiriu quatro Saber M60. O Saber M60 é um radar de vigilância a baixa altura, desenvolvido em parceria com o CTEx (Centro Tecnológico do Exército). Ele permite rastrear alvos em um raio de 60 quilômetros, transmitindo informações em tempo real para um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea (COAA). Apenas cinco países no mundo dominam este tipo de tecnologia. Por ser móvel e de baixo peso, o radar Saber M60 pode ser facilmente transportado para qualquer local do território nacional ou empregado em missões de paz no exterior. Sua instalação para entrar em operação pode ser feita em menos de 15 minutos e por apenas três pessoas. Outro ponto importante é que o radar pode ser integrado a sistemas de armas baseados em mísseis ou canhões antiaéreos. Também pode operar em conjunto com o COAAe (Centro de Operações de Artilharia Antiaérea), outra exclusividade da BRADAR.

A tecnologia dos radares de vigilância da BRADAR também é habilitada para uso dual e tem sido empregada nos grandes eventos do País. Recentemente, durante a visita do papa Francisco ao Brasil, entre 23 e 28 de julho, o equipamento foi utilizado para monitoramento e segurança do sumo pontífice. O  SABER M60 também foi utilizado na segurança da Copa das Confederações e, no ano passado, na Rio+20, conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje