AMÉRICA | Armada
-/5 | 0 votos

Aspirantex 2017

O G-40 Bahia mostra as suas capacidades com quatro helicópteros a bordo

17/02/2017 | Base do Rio de Janeiro

R.Caiafa (Enviado especial)

O Navio Doca Multipropósito G-40 Bahia atuou pela primeira vez em um exercício operativo na Marinha do Brasil com um efetivo de quatro helicópteros de médio porte durante a comissão Aspirantex 2017.

O navio operou com os modelos UH-15 Super Cougar e UH-12 Esquilo (ambos da Helibras), mais o SH-16 Sea Hawk (Sikorsky).

Pilotos da Aviação Naval, na atualidade, estão abrindo os "envelopes de vento" do navio em voos diurnos, preparando o terreno para o próximo passo, a operação noturna com emprego de NVG (visão noturna).

O atual NDM G-40 Bahia, antigo Siroco, é o segundo LPD da classe Foudre construído para a Marinha da França.

O primeiro deles, batizado de Foudre, foi vendido ao Chile em 2011.

O segundo, o Siroco, foi lançado ao mar em dezembro de 1996, e o projeto que deu origem a classe é relativamente recente e moderno.

O Brasil comprou o Siroco em 2015 por 80 milhões de euros.

Deslocando 12 mil toneladas quando totalmente carregado, o G-40 Bahia têm espaço para acomodar quatro helicópteros Super Puma, oito lanchas de desembarque (ou 12/14 blindados anfíbios tipo CLANF).

O navio também pode transportar entre 100 a 150 veículos/blindados (carregados/descarregados por pontão roll-on/roll-off, e 450 soldados (até  900 tratando-se de curto desdobramento) além da tripulação composta por cerca de 150 militares.

Com um convoo principal capaz de operar quatro aeronaves, mais um convoo a ré que pode operar dois helicópteros de pequeno porte simultaneamente, o G-40 Bahia é servido por um elevador de aeronaves a meia-nau.

Estrategicamente posicionado entre essas duas estações, o elevador também serve ao hangar de viaturas um deck abaixo.

Um hangar de aviação na proa pode receber até quatro aparelhos, os suprimentos e o pessoal de operações aéreas.

O moderno hospital de bordo possui  500 m², dois blocos cirúrgicos e oferece até 51 leitos.

Também existe um gabinete dentário, sala de radiologia, laboratório de biologia e um moderno equipamento de ressonância magnética.

Com um comprimento de 168 metros, boca de 23,5 metros e calado de 5,2 metros, o G-40 utiliza como propulsão dois motores diesel SEMT Pielstick 16 PC 2.5 V400.

O sistema elétrico utiliza cinco alternadores SACM-Unidiesel.

A potência máxima instalada é de 20.800 HP, o que faz com que o navio alcance uma velocidade de até 21 nós.

Para defender-se das ameaças aéreas, o G-40 Bahia emprega três canhões de 30mm Breda-Mauser e quatro metralhadoras de 12,7mm M2-HB Browing.

Também estão disponíveis três reparos para mísseis superfície-ar Simbad, com dois MANPADS Mistral prontos para disparo em cada um.

A classe Foudre foi concebida para operar quatro helicópteros AS-532 Cougar e apoiar a projeção do mar para terra de fuzileiros navais valor batalhão e seus equipamentos.

O navio também pode atuar em missões de caráter humanitário e resgate de nacionais além fronteiras.

Com seu moderno hospital e ampla capacidade de operações aéreas embarcadas diuturnas, o NDM G-40 Bahia é peça fundamental em qualquer assalto anfíbio executado pelo Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil

Imagens: Roberto Caiafa

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje