menú responsive
AMÉRICA | Empresas
-/5 | 0 votos

Paris Air Show

Embraer promove sua KC-390 na Europa

Projecto KC-390. Infográfico: Pedro Dutra / Minsiterio de Defesa

Projecto KC-390. Infográfico: Pedro Dutra / Minsiterio de Defesa

20/06/2017 | Sao Paulo

Roberto Caiafa

A Embraer expõe, a partir dessa segunda feira, 19 de junho, e pela primeira vez, três novas aeronaves no Paris Air Show, o E195-E2 (comercial), KC-390 (militar) e o Legacy 450 (executiva).

A 52ª edição do Salão Internacional de Aeronáutica e Espaço, que acontece até o dia 25 de junho no aeroporto de Le Bourget, em Paris, na França, tem tudo para tornar-se um marco na história da empresa brasileira.

Esta será a maior participação da Embraer em um show aéreo, reunindo o novo E195-E2, a maior aeronave da segunda geração da família de jatos comerciais da companhia, a aeronave militar multimissão de transporte e reabastecimento em voo KC-390 e o mais moderno jato executivo de médio porte (mid-light), o Legacy 450.

Essa nova geração de aviões da empresa brasileira oferece a tecnologia fly-by-wire como diferencial, além do emprego de materiais avançados em sua construção e uma interface homem-máquina com layout de cockpit digitalizado e ergonomicamente agradável.

Essas três aeronoves se apresentarão com destaque durante a feira. Um jato regional ERJ 145 nas cores da companhia aérea HOP! completará a exposição estática da empresa. Precursor da família de E-Jets, o ERJ 145 já completou 22 anos do seu 1º voo (1995).

Antes de chegar a Paris, o  KC-390 passou pela Suécia, iniciando assim uma turnê internacional de 40 dias que inclui a primeira demonstração aérea publica do modelo no Salão Internacional de Aviação e Espaço de Le Bourget.

Logo após o jato seguirá para se exibir na Nova Zelândia e mais alguns países interessados na Oceania e Ásia. O segundo protótipo da fabricante brasileira (prefixo PT-­ZNJ), chegou em Gotemburgo no dia 11 de junho, após decolar de São José dos Campos dois dias antes, com paradas em Recife e Las Palmas, Gran Canaria.

A Suécia está analisando a possível compra do KC-390 para substituir seus aviões de transporte Lockheed Martin C­130H Hercules, mesmo após os militares suecos confirmarem uma atualização midi-life-upgrade (MLU) que permitirá aos Hércules voarem até 2030.

Após sair da Suécia, o KC-390 apresenta-se no show aéreo de Paris, onde ficará na exposição estática e também participará da exibição em voo, seguindo logo após a feira para países europeus adicionais não revelados pela companhia, antes de se dirigir para a Nova Zelândia, a qual está em processo de seleção de novos aviões de patrulha de transporte e marítimo.

Antes de voltar para o Brasil, a aeronave fará paradas adicionais no Sudeste Asiático e na África do Norte, com a Embraer expandindo sua atividade de divulgação do novo avião, após Portugal demonstrar forte interesse na compra.

KC-390, um Game Changer

Quando foi oficialmente apresentado durante a LAAD 2009, no Rio de Janeiro, o KC-390 ainda era um projeto que buscava aproveitar ao máximo componentes da família E-Jet 190-195 para criar um novo jato de transporte militar.

A Força Aérea Brasileira, junto com seus parceiros internacionais, redesenhou todo o projeto, resultando em um avançado cargueiro e reabastecedor de características operacionais extremamente exigentes, capaz de decolar com uma carga de 23 toneladas usando 1.200 metros de pista e entregá-la a 2.400 km de distância.

A certificação militar inicial para o motor que equipa o KC-390, o Aero Engines V2500, é esperada no final deste ano, com certificação civil a seguir antes do final de 2018. A Embraer espera oferecer seu novo produto para operadores comerciais, onde enfrentará a concorrência de outros aviões, incluindo o Lockheed LM­100J, a versão civil do Super Hercules.

Voando a uma velocidade de 470 nós (870 km/h), o tipo pode operar em pistas não pavimentadas ou danificadas, na linha de frente. A sua fuselagem é capaz de acomodar cargas de grandes dimensões e volume, com acesso por meio da rampa de carga na parte traseira da fuselagem.

Segundo a Embraer, o compartimento de cargas do avião pode receber blindados 6x6 e 8x8, inclusive os equipados com torre de armamento, sem a necessidade de qualquer desmontagem ou intervenção mais séria.

Esse requisito, considerado fundamental, foi colocado pela Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército Brasileiro para permitir o envio de tropas de pronto emprego expedicionário em momentos de crise, junto com seu armamento e equipamento, em no máximo oito horas após o seu acionamento, para qualquer ponto do território nacional ou para o exterior.

O KC-390 é equipado com rampa traseira e um avançado sistema de manuseio e lançamento de carga. Denominado Cargo Handling System, permite a sua rápida reconfiguração utilizando roletes escamoteáveis para a movimentação da carga em pallets (estrado que permite a movimentação do material) ou um piso plano para transporte de tropas ou veículos.

Diferentes tipos de cargas podem ser transportadas, como veículos, helicópteros (semi desmontados), tropas (até 80 soldados equipados), paraquedistas (até 66 paraquedistas equipados, que podem saltar tanto de portas laterais como da rampa de carga), macas para evacuação aeromédica (até 74 macas padrão OTAN) ou configurações mistas.

A aeronave ainda pode ser empregada como posto de combustível aéreo, utilizando dois tanques internos removíveis conectados a pods reabastecedores nas asas (sonda e cesta), e possui grande flexibilidade, podendo reabastecer tanto helicópteros a baixas altitudes quanto caças de alto desempenho em elevadas altitudes e velocidades.

A pilotagem da aeronave é facilitada por um moderno sistema aviônico integrado e por um controle de voo do tipo fly-by-wire (voo digital por fios), que reduz a carga de trabalho dos pilotos e aumenta a eficiência de missão.

O KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira. Da Amazônia à Antártica, a frota de 28 aeronaves (mais os dois protótipos), que substituirá os atuais Hercules C-130, terá papel fundamental para os mais diversos projetos do Estado brasileiro, da pesquisa científica à manutenção da soberania.

Programa KC-390

Em 2009, a FAB contratou a Embraer para realizar o desenvolvimento dessa aeronave. Em maio de 2014, foi inaugurado o hangar de montagem final em Gavião Peixoto (SP). Na mesma ocasião, a Embraer e o Comando da Aeronáutica assinaram o contrato para a produção seriada do modelo, o que marcou o início de uma nova fase do projeto.

Além da encomenda da Força Aérea Brasileira, foram anunciadas intenções de compra do avião por outros países que totalizaram 32 aeronaves. Em fevereiro de 2015, a Embraer realizou o primeiro voo experimental do KC-390. Atualmente, a aeronave encontra-se em ensaios de voo de desenvolvimento e certificação.

A campanha de testes deverá durar aproximadamente dois anos e meio. A certificação está prevista para ser alcançada no segundo semestre de 2017 com as primeiras entregas ocorrendo no primeiro semestre de 2018.

Ficha Técnica – KC-390:

Fabricante: Embraer S.A.

Envergadura: 35,05 m

Comprimento: 35,20 m

Altura: 11,84 m

Velocidade máxima de cruzeiro: 470 nós (870 km/h)

Altitude máxima: 36.000 pés (11.000 m)

Alcance (c/ 23 toneladas de carga): 1.380 milhas náuticas (2.556 km)

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje