menú responsive
AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

Cinco aeronaves para a Força Aérea de Portugal

KC390 confirma primeira venda de exportação

As bandeiras dos países parceiros do KC390 pintadas na porta de acesso do avião. Fotos: Roberto Caiafa

As bandeiras dos países parceiros do KC390 pintadas na porta de acesso do avião. Fotos: Roberto Caiafa

02/08/2017 | Lisboa, Portugal

Roberto Caiafa

O Governo de Portugal, através do seu Conselho de Ministros, autorizou o início de negociações com a Embraer Defesa & Segurança para aquisição de cinco cargueiros militares KC390 (com opção para mais um exemplar).

No mesmo documento, foi determinado ao Ministro da Defesa Nacional que avalie a suspensão da modernização planejada para as atuais aeronaves C-130H da Força Aérea Portuguesa (FAP), pois estas serão substituídas pelo KC390.

A resolução do Conselho de Ministros, publicada em Diário da República, versa sobre a compra de “até cinco aeronaves KC390, com opção de mais uma”, e ainda a respectiva sustentação logística e um simulador de voo (fullflight simulator CAT D), para instalação e operação em território nacional.

Assim, reforçam-se as atuais capacidades de transporte aéreo, de busca e salvamento, evacuações sanitárias e apoio a cidadãos nacionais, nomeadamente entre o Continente e os Arquipélagos (ilhas territoriais no Atlântico).

O documento explica ainda que a frota de KC390 entregará capacidades adicionais de reabastecimento em voo e combate a incêndios florestais, possibilitando o uso customizado de aeronaves com funções dual (civil e militar), atendendo a necessidades permanentes do país de transporte aéreo estratégico e tático das Forças Armadas e o reforço da capacidade de apoio a missões de interesse público.

A resolução do Conselho de Ministros determina ainda a elaboração, até finais de outubro, ou no prazo máximo de três meses, de um relatório detalhado contendo todos os aspetos relevantes e necessários à introdução do novo sistema de armas KC390 na FAP, com as possíveis opções para decisão final, incluindo as decorrentes da negociação com a Embraer, respectivos cronogramas, custos associados e objetivo de atingir a Capacidade Operacional Inicial (Initial Operational Capability–IOC) até ao final de 2021.

A indústria aeroespacial de Portugal esteve envolvida no projeto de desenvolvimento e produção do KC390 desde o seu início, compromisso reforçado em 2011 entre o ministro da Defesa lusitano e a Embraer através da assinatura de um acordo visando uma potencial aquisição das aeronaves, fato consumado com a publicação da resolução.

O programa de fabricação e entrega desses aviões vai contar com o acompanhamento de pessoal da Força Aérea Portuguesa no desenvolvimento da configuração prevista para emprego em Portugal.

imagens: Roberto Caiafa

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje