menú responsive
AMÉRICA | Empresas
-/5 | 0 votos

Expodefensa 2017

Atech apresenta seus sistemas Arkhe Mission & Combat na Colômbia

MSS do Gripen E/F, TDMS do H-225M naval, E99 e P-3AM: o portifólio ATECH na Expodefensa.

MSS do Gripen E/F, TDMS do H-225M naval, E99 e P-3AM: o portifólio ATECH na Expodefensa.

07/12/2017 | Bogotá, Colômbia

Roberto Caiafa

A Atech, empresa do Grupo Embraer, participa da Expodefensa 2017 (Bogotá, Colômbia) presente no estande ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança), destacando os produtos e serviços nas áreas de sistemas de missão embarcados e de controle de fronteiras, que integram o Arkhe Mission & Combat.

Trata-se de um conjunto de soluções em sistemas embarcados da Atech, desenvolvido sobre uma plataforma de última geração, para missões táticas, integrando, de maneira completa, sensores e sistemas de aeronaves e navios.

Os sistemas Arkhe Mission & Combat ainda podem ser configurados para atender a diferentes ambientes de operação.

A Atech conta com um histórico de entregas e um portfólio robusto de desenvolvimento, produção, integração e evolução de sistemas de missão embarcados, com destaque para quatro importantes projetos realizados para atender demandas das Forças Armadas brasileiras.

O primeiro a ser destacado é o projeto de desenvolvimento do caça brasileiro Gripen, nas versões E e F, para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Responsável pelo sistema de simulação, treinamento e planejamento de missão em solo, a empresa participa do programa de transferência de tecnologia na sede da Saab, na Suécia.

Para o desenvolvimento do sistema de planejamento de missão (Mission Suport System -MSS), os profissionais da Atech precisaram adquirir conhecimento estratégico do funcionamento de toda a aeronave, sistemas de navegação, de missão, sensores e, inclusive, do sistema de armamento.

São sistemas vitais para planejar como as missões serão executadas, além de prover ferramentas para analisar os dados coletados durante a execução das mesmas.

“Apesar de ser um sistema em solo, a atuação da Atech é extremamente complexa no programa Gripen. Além disso, estamos absorvendo tecnologias que são consideradas as mais modernas existentes no mercado na atualidade. Tais tecnologias são dedicadas para essa aeronave, bastante robustas e que agora são de domínio nacional”, destaca Giacomo Staniscia, diretor de Negócios da Atech.

A Atech será responsável pelo simulador de treinamento de missão da aeronave Gripen, responsável por emular todos os sistemas da aeronave, permitindo o treinamento dos pilotos nas missões de voo.

“Foi fundamental nossa participação absorvendo a tecnologia do simulador para a concepção da versão final da aeronave”, ressalta Staniscia.

Além do Gripen, a Atech também está inserida no Programa H-XBR trabalhando no helicóptero de emprego naval H225M.

Para este sistema de armas a Atech desenvolveu o TDMS (Sistema Tático para Gerenciamento de Dados), em parceria com a Airbus Defesa, e está produzindo todos os consoles táticos responsáveis pela operação da missão dentro da aeronave.

Para este programa, a Atech obteve, em tempo recorde, a certificação na norma NBR 15100, que abrange todo o ciclo de fornecimento de um sistema embarcado, inclusive a etapa de produção, o que a habilita a atuar em outros programas similares.

“A Atech atua em todo o ciclo de vida do sistema, desde a concepção até a evolução após anos de implantação e uso. Como parceiros das Forças Armadas, nos posicionamos de forma a prestar o suporte necessário para garantir os avanços tecnológicos e, para isso, aplicamos continuamente em pesquisa e desenvolvimento”, comenta o diretor Giacomo Staniscia.

Outros dois programas de grande relevância estratégica para o Brasil e com participação direta da Atech referem-se às aeronaves E99 e P-3AM.

Na aeronave de vigilância aérea E99, que atende o programa Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM), a Atech desenvolverá em parceria com a Saab o sistema de missão embarcado bem como dos sistemas de solo para de planejamento, briefing, debriefing e análise das missões.

No caso do P-3AM a aeronave de vigilância marítima conta com o sistema de missão embarcado e demais sistemas de apoio e planejamento para missão em solo, neste caso, em uma parceria com a antiga EADS Casa.

“Toda nossa expertise no setor de Defesa permite oferecer soluções atreladas às necessidades das Forças nacionais e de outros países, com as tecnologias mais modernas. A Atech é responsável pelo desenvolvimento de todo o sistema de gerenciamento do tráfego aéreo brasileiro e de Defesa nacional e já exporta diversas soluções, o que nos credencia como uma das principais empresas mundiais no setor de Defesa”, conclui Vinicius Meng, da área de Desenvolvimento de Negócios de Defesa da Atech.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje