menú responsive
AMÉRICA | Aire
-/5 | 0 votos

Saldo 2017

A Força Aérea brasileira supera o ano apesar dos recursos limitados

RESUMO DO ANO DE 2017: Força Aérea Brasileira mas pode chamar de FAB 100.

RESUMO DO ANO DE 2017: Força Aérea Brasileira mas pode chamar de FAB 100.

30/12/2017 | Brasília, RJ

Roberto Caiafa

Após deflagrar uma reestruturação profunda em sua organização e unidades aéreas, a Força Aérea Brasileira atravessou 2017 lutando contra o contingenciamento de recursos, a diminuição de horas de voo em alguns setores, e a necessidade de diminuir seu efetivo, alterando o balanço entre oficiais/graduados de carreira longa e temporários de carreira curta, especialmente em funções auxiliares e administrativas.

Bases aéreas foram fechadas e outras destinadas exclusivamente para desdobramentos dentro do território brasileiro. Unidades aéreas foram transferidas entre bases, e algumas foram desativadas, caso do esquadrão Adelphi (1º/16º GAV).

O programa de modernização dos jatos de ataque Embraer A-1 AMX foi descontinuado após 14 exemplares serem modificados (de 43 previstos). Os aviões do Adelphi foram estocados, e os modernizados entregues estão voando em Santa Maria (RS).

Os 48 jatos F-5EM/FM contratados foram todos atualizados após 12 anos de trabalhos, e dos 11 exemplares “jordanianos” adquiridos recentemente,...

Contenido gratuito disponible para suscriptores

 

Si todavía no se ha suscrito, pinche aquí, el registro es totalmente gratuito. En caso contrario, introduzca sus datos:

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje