menú responsive
AMÉRICA | Aire
-/5 | 0 votos

Saldo 2017

A Força Aérea brasileira supera o ano apesar dos recursos limitados

RESUMO DO ANO DE 2017: Força Aérea Brasileira mas pode chamar de FAB 100.

RESUMO DO ANO DE 2017: Força Aérea Brasileira mas pode chamar de FAB 100.

30/12/2017 | Brasília, RJ

Roberto Caiafa

Após deflagrar uma reestruturação profunda em sua organização e unidades aéreas, a Força Aérea Brasileira atravessou 2017 lutando contra o contingenciamento de recursos, a diminuição de horas de voo em alguns setores, e a necessidade de diminuir seu efetivo, alterando o balanço entre oficiais/graduados de carreira longa e temporários de carreira curta, especialmente em funções auxiliares e administrativas.

Bases aéreas foram fechadas e outras destinadas exclusivamente para desdobramentos dentro do território brasileiro. Unidades aéreas foram transferidas entre bases, e algumas foram desativadas, caso do esquadrão Adelphi (1º/16º GAV).

O programa de modernização dos jatos de ataque Embraer A-1 AMX foi descontinuado após 14 exemplares serem modificados (de 43 previstos). Os aviões do Adelphi foram estocados, e os modernizados entregues estão voando em Santa Maria (RS).

Os 48 jatos F-5EM/FM contratados foram todos atualizados após 12 anos de trabalhos, e dos 11 exemplares “jordanianos” adquiridos recentemente, somente os três “Fox” biplaces estão sendo modernizados, devido a carência dessa aeronave para conversão operacional.

Os F-5EM/FM ainda deverão atuar por mais uma década na Força Aérea Brasileira, os aviões mais voados começando a sair de serviço em 2019/2020.

No inicio de 2017, a SAAB expandiu a sua parceria com a AKAER e adquiriu 100% da Opto, especializada em ópticos de precisão/optrônicos, mudando seu nome para OPTO Space & Defense.

Essa aquisição garantiu que as tecnologias optrônicas desenvolvidas pela OPTO ao longo de décadas sejam mantidas sob o domínio de uma Empresa Estratégica de Defesa (EED), para que possam ser utilizadas nos programas nacionais de espaço e defesa nos próximos anos.

Na mesma época, o ministro da Defesa brasileiro visitava as obras das estações em terra do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), e declarava que a entrada em serviço do sinal revolucionaria as capacidades estratégicas das Forças Armadas Brasileiras.

Satélite lançado, após atrasos causados por greves na Guiana Francesa, e o sistema está gradualmente assumindo suas funções, após passar por testes de comunicação em órbita.

Um dos programas chave da Força Aérea, o jato KC390 começou 2017 realizando suas primeiras provas de reabastecimento em voo usando jatos da Força Aérea Brasileira. O avião realizou testes de ventos cruzados no Chile (Punta Arenas). De volta ao Brasil, a imprensa pode visitá-lo durante a LAAD 2017, no Rio de Janeiro.

Testes em Campo Grande com a Brigada de Infantaria Paraquedista e Forças Especiais comprovaram a capacidade do avião de entrar e sair de áreas “quentes” para lançar paraquedistas e/ou operadores de Forças Especiais. Logo a seguir, os protótipos realizaram uma turnê por diversos países do Golfo Pérsico, Ásia e Oceania, partido da Europa após participar do paris Air Show.

Logo após a Boeing e a Embraer anunciarem uma parceria para promoverem o KC390 nos mercados com forte presença da companhia norte-americana, ocorreu o incidente com o protótipo PT-ZNF em Gavião Peixoto durante um voo de teste de formação de gelo. Os danos foram tão severos que o protótipo chegou a perder algumas superfícies de controle durante a abrupta queda de altitude verificada.

Essa aeronave não retornou ainda a campanha de voos. Todas as ações posteriores foram cumpridas pelo segundo protótipo. Atualmente o mesmo encontra-se nos Estados Unidos executando testes de ventos cruzados e outras situações. Importante recordar que o KC390 anotou em 2017 sua primeira venda internacional, cinco exemplares para Portugal.

O programa do Gripen E/F para a Força Aérea Brasileira anotou avanços importantes em 2017, incluindo o voo inaugural do protótipo 01, na Suécia. A AEL Sistemas entregou a 2ª etapa do desenvolvimento do WAD (wide área display), próxima sendo a integração do WAD no protótipo na Suécia para iniciar os testes de voo em 2018.

O esforço de preparação da linha de montagem prevista na cidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista (importante zona industrial), teve o nome do diretor geral anunciado (Marcelo Lima). A Saab Aeronáutica Montagens (SAM) será a fábrica que fornecerá aeroestruturas para os Gripen adquiridos pela Força Aérea Brasileira (FAB).

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje