menú responsive
AMÉRICA | Empresas
-/5 | 0 votos

Delfire Arms: sai Caracal LLC, entra Arex Rex FireArms

Grupo DFA lança nova fábrica de armas no Brasil

Vista aérea da fábrica da DelFirearms: produção começará em janeiro de 2019.

Vista aérea da fábrica da DelFirearms: produção começará em janeiro de 2019.

31/07/2018 | Belo Horizonte

Roberto Caiafa

Sediado na cidade de Anápolis (GO), o Grupo DFA ficou conhecido em 2016 quando anunciou um acordo industrial com a Caracall LLC, dos Emirados Árabes Unidos (EAU), para a fabricação de pistolas e fuzis para o mercado brasileiro.

Esse arranjo não logrou sucesso devido a uma série de problemas internos na empresa do Golfo Pérsico, fatos que a obrigaram a retirar-se do negócio ao final do 2º trimestre de 2017.

Pouco mais de um ano depois, ao final de julho corrente, a Delfire Arms anuncia uma virada que começou a ser desenhada em meados de 2017 na distante Eslovênia.

Com sofisticadas instalações em construção no Distrito Industrial de Anápolis (GO), uma ampla pesquisa de mercado em mãos e muita determinação para vencer mais um desafio, a empresa foi buscar uma solução no continente europeu, mais precisamente através da Arex (Rex FireArms - vídeo).

Reconhecido fabricante no mercado mundial de armas, a Arex se interessou em estabelecer uma parceria no Brasil, e assim, o Grupo DFA definiu seu produto de entrada no mercado brasileiro, a pistola Rex FireArms REX 01 no calibre 9 mm.

Delfire Arms prontamente providenciou a importação de maquinário industrial especializado com tecnologias atualizadas e capacidades similares ao empregado na fábrica da Arex na Eslovênia, tudo para garantir um processo de produção com qualidade idêntica ao produto original.

As obras da nova planta fabril deverão ser concluídas antes de janeiro de 2019.

Pistola Rex FireArms REX 01 Compact

 

Arma de reconhecida qualidade, a REX 01 CP possui corpo de alumínio anodizado (não usa polímeros), ergonomia sofisticada com talas aderentes na empunhadura e, o mais importante, uma trava de segurança que previne disparos acidentais, sendo possível ciclar o ferrolho com a pistola travada, o gatilho permanecendo inoperante (morto).

O sistema tradicional de segurança para armas mais antigas, onde se faz o carregamento seguido do desarme do cão e travamento é tido como insuficiente para atender os padrões exigentes das forças de segurança no trabalho do dia a dia.

O carregador da REX 01 CP tem capacidade para 15 tiros (na versão compacta) e retém do carregador ambidestro.

O corpo da arma possui entalhes para trilhos piccatiny e diversos acessórios podem ser acoplados com grande facilidade.

A pistola Rex FireArms REX 01 tem uma ótima avaliação em canais do Youtube especializados em armas de fogo. Suas avaliações técnicas de desempenho recebem notas muito boas.

Os corpos das pistolas REX 01 e componentes de outros modelos futuros serão fabricados em sua totalidade no Brasil.

A exceção fica por conta dos canos, produzidos pela Arex na Eslovênia com a técnica de martelamento a frio e enviados ao Brasil para serem montados nas armas.

Fuzis e Carabinas na lista

 

O Grupo DFA deverá expandir suas operações após iniciar a produção da pistola Rex FireArms REX 01 em Anápolis. A empresa deverá fabricar, além de pistolas, fuzis e carabinas modernos.

Delfire Arms está negociando na Turquia a licença de produção para fuzis de assalto/carabinas nos calibres 5,56 mm e 7,62 mm, tendo como target de mercado as Forças Armadas e Forças de segurança brasileiras.

O efeito Intervenção Federal

 

O Rio de Janeiro passa por uma Intervenção Federal após o completo colapso do Governo Estadual, demandando recursos de monta para realizar uma readequação nas Polícias (Civil e Militar), reformulando seus quadros e reequipando seus arsenais.

Foi requisitado pelo Gabinete de Intervenção Federal (GIF) um aporte de recursos federais na faixa de R$ 1,2 bilhões para reorganizar o Estado a um mínimo, pagar fornecedores e reequipar as polícias Civil e Militar, uma das principais estratégias do interventor Walter Braga Netto para tentar melhorar a segurança pública no Rio.

O GIF está realizando licitações para comprar cerca de onze mil armas (fuzis, pistolas e carabinas), 24 mil coletes à prova de balas e 1.350 veículos, entre outros itens, para reequipar as Forças de Segurança do Rio de Janeiro.

Isso representa 70 processos de licitação que envolvem o investimento de R$ 550 milhões, quase metade da verba federal destinada à intervenção, prevista para durar até 31 de dezembro de 2018.

Confira a ficha técnica da pistola Rex FireArms REX 01 Compact:

ESPECIFICAÇÕES:

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

SÍGUENOS EN

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje