menú responsive
AMÉRICA | Aire
-/5 | 0 votos

Força Aérea Brasileira

O novo SC 105 do Brasil sairá do Getafe este ano e com capacidade IFR

O FAB 6551 em Getafe exibindo sua sonda IFR para reabastecimento em voo.

O FAB 6551 em Getafe exibindo sua sonda IFR para reabastecimento em voo.

23/09/2019 | Belo Horizonte

Roberto Caiafa

A Airbus Military, em suas instalações de Getafe (Espanha), está ultimando os preparativos para a entrega de mais uma aeronave SC-105 Amazonas na configuração C-SAR (busca e resgate), de matrícula FAB 6551, e com uma novidade, esse exemplar está configurado com uma sonda IFR (In Flight Refueling) posicionada a direita e acima da cabine de pilotagem, o que permitirá ao FAB 6551 ser reabastecido em voo, aumentando sua autonomia de forma exponencial.

O 2º/10º GAvEsquadrão Pelicano (ALA 12, Base Aérea de Campo Grande), responsável pela Aviação de Busca e Salvamento da Força Aérea Brasileira (FAB), deverá receber o FAB 6551 ainda em 2019.

Naquela base, o novo avião cumprirá missões de busca e resgate sobre terra e sobre o mar, sendo que o 2º/8º GAV é o responsável pela chamada FIR Atlântico (SBAO), controlada pelo Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico Atlântico.

Um avião à beira das mais recentes tecnologias

 

Em uma área de busca e salvamento compreendendo milhares de quilômetros quadrados, os SC-105 da FAB precisam utilizar tecnologias diferenciadas para conseguirem cumprir as suas missões.

A bordo desses aviões está instalado o sistema de missão FITS (Fully Integrated Tactical System), um sistema modular, de última geração, com vários consoles e telas, que pode ser configurado para uma ampla gama de missões, desde vigilância e reconhecimento, proteção de zona econômica exclusiva (ZEE), controle de poluição, busca e resgate (SAR), guerra de superfície (ASW) ou guerra anti-submarina (ASuW), entre outras capacidades.

A bordo do SC-105, o FITS gerencia as informações captadas pelo radar de busca multimodo Elta EL/M-2022 (V)3, que possui alcance médio de 360 km (instalado no ventre da aeronave) e a torreta EO/IR (Electro-Optical and Infrared) do tipo FLIR Systems Star SAFIRE (posicionada sobre o “queixo” do avião).

Internamente, o Amazonas SAR possui quatro assentos especiais (dois na parte dianteira e dois na parte traseira, antes da rampa de carga) para a observação e monitoramento da missão de busca através das janelas em forma de bolha. A rampa traseira pode ser aberta em voo para o lançamento de carga e paraquedistas.

Com exceção do FITS e dos assentos dos observadores dianteiros, os demais equipamentos SAR podem ser removidos para a aeronave ser utilizada em missões de transporte de carga e pessoal.

Na cabine de pilotagem, o SC-105 é semelhante aos seus irmãos de transporte de cargas, exceto pelo acréscimo de uma tela na parte central do painel de instrumentos para a visualização, pelos pilotos,  das informações geradas pelo FITS.

Acredita-se que os outros SC-105 Amazonas já entregues deverão, em futuro próximo, receberem também a sonda IFR, padronizando as capacidades da frota.

Imagens: Airbus Military via ABRASAR

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje