menú responsive
AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

Balanço 2019 e desafios 2020

Base de Defesa Industrial do Brasil exportou US $ 1,3 bilhão em 2019

Planejamento Estratégico teve como foco o fomento da Economia de Defesa.

Planejamento Estratégico teve como foco o fomento da Economia de Defesa.

10/01/2020 | Belo Horizonte

Roberto Caiafa

Durante o ano de 2019, a Secretaria de Produtos de Defesa (SEPROD) do Ministério da Defesa (MD) desenvolveu várias atividades e iniciativas, com base em seu Planejamento Estratégico.

O foco foi o fomento da Economia de Defesa do País.

No período, 361 empresas foram atendidas; foram empreendidas 14 missões internacionais e nove nacionais e realizadas 38 visitas ou inspeções técnicas às empresas da Base Industrial de Defesa (BID).

Também foram promovidos Diálogos da Indústria de Defesa (DIDs) com seis países; nove Memorandos de Entendimentos (MOUs) com outras nações assinados, 23 ações de estímulo ao conhecimento foram promovidas (palestras e workshops relativos ao desenvolvimento da BID); 147 estudos realizados; 41 notas técnicas emitidas e mais de 18 autoridades estrangeiras recepcionadas em Brasília.

O resultado do esforço pode ser constatado, entre outros indicadores, pelo incremento das autorizações de exportações de produtos de Defesa.

O salto em 2019 foi de mais de 30% em relação ao ano anterior, saindo do patamar de US$ 915 milhões e alcançando US$ 1,3 bilhão.

Em relação aos aspectos econômicos, a SEPROD também trabalhou na busca de alternativas financeiras para as empresas da BID e para as Forças Armadas.

Uma delas é a futura instituição de Fundos de Investimento em Participações (FIP), objeto de alguns dos MOUs assinados com Emirados Árabes e Catar e a serem firmados com a Arábia Saudita.

A Secretaria, ainda, tem desenvolvido ações de apoio à estruturação de um Banco de Defesa.

A instituição, que será inteiramente privada, será focada nas operações de apoio à BID.

No processo de inserção das empresas brasileiras de Defesa no mercado internacional, a SEPROD trabalhou, principalmente, para reforçar o relacionamento com os países que já eram próximos da BID nacional e também para conquistar novos mercados.

O destaque fica por conta de missões realizadas no Oriente Médio, França, Espanha, Argentina, Colômbia, Israel, Turquia e Reino Unido.

Nas atividades desenvolvidas para ampliar o espaço da BID no exterior, também se destacam: organização da LAAD, no Rio de Janeiro, no mês de abril; reuniões no Ministério da Economia sobre Sistema Portal Único de Exportações/SISCOMEX e também no Ministério de Relações Exteriores (MRE), para tratar de ajustes nas operações de exportações, visando adequação à nova Política Nacional de Exportação de Produtos de Defesa (PNEIPROD).

No que se refere às missões nacionais, os representantes da Secretaria participaram de eventos como: Conferência de Simulação e Tecnologia Militar (CSTM)  (Brasília-DF - 24 a 27 de junho); IBAS (International Brasil Air Show) - São Paulo/Guarulhos - 11 a 13 de setembro; ASDX (Amazon Security and Defence Exhibition) - Belém/PA - 12 a 14 de novembro; Brazil Investment Forum – BIF ( São Paulo – 10 e 11 de outubro); Encontro Empresarial Brasil e Espanha (Rio de Janeiro/RJ - 12 de dezembro); SC EXPO DEFENSE  (Florianópolis- 27 a 29 de setembro).

Em relação às ações de estímulo ao conhecimento, a SEPROD promoveu palestras e workshops sobre o Regime Especial de Tributação para Indústria de Defesa (Retid) em diversas entidades; realizou visita técnica de prospecção tecnológica à Fábrica Prysmian (Itália) e ao Polo Tecnológico BioTic e a Fábrica de Vacinas CEVA (MG); participou de reunião sobre manifestação de Interesse em Programa de Pesquisa de Desenvolvimento e Inovação no âmbito do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e esteve no XXI SIGE – Simpósio Internacional de Aplicações Operacionais na Área de Defesa.

Regulamentação

No que diz respeito às normas que regem a Economia de Defesa, a SEPROD trabalhou na análise de projeto de regulamentação para autorização de funcionamento, no País, de sociedade estrangeira que desenvolva produtos e sistemas de defesa.

O resultado foi a publicação do Decreto 9.787/2019, que define para o Comando do Exército Brasileiro a competência para conceder anuência prévia para este tipo de autorização, que é de competência do Ministério da Economia.

A Secretaria também iniciou as tratativas com a Marinha do Brasil para a atualização da Lei 12.598/2012, que regulamenta o Termo de Licitação Especial (TLE).

Além disso, a SEPROD vem trabalhando na implementação da Portaria do Exército Brasileiro sobre PCE (Produtos Controlados pelo Exército).

O objetivo é reduzir o prazo de homologação de avaliação de conformidade dos produtos controlados.

Durante o ano de 2019, os números relativos às reuniões da Comissão Mista da Indústria de Defesa (CMID) e também da Gestão Sistema de Cadastramento de Produtos e Empresas de Defesa apresentaram saldos positivos.

Conforme levantamento da SEPROD, no período, houve incremento de 16% no número de Empresas de Defesa (ED) e de 11% de Empresas Estratégicas de Defesa (EED) credenciadas, na comparação com o ano de 2018.

Nas empresas habilitadas ao Retid, o avanço foi de 21,8% e em relação às empresas que passaram a usufruir do Regime, houve um incremento de 75% em relação ao ano anterior.

Estudos

Com o objetivo de conquistar mais espaço no comércio internacional, nos próximos anos, a SEPROD realizou estudos sobre informações comerciais de 69 países.

A Secretaria também promoveu estudo e elaboração de proposta para regular a atuação da Inteligência Comercial no Departamento de Promoção Comercial (DEPCOM/SEPROD).

Outro estudo realizado pela Secretaria foi o que estabeleceu a elaboração de processo sobre interveniência técnica e resultou na publicação da Portaria n. º 36/GM-MD/2019 que dispõe sobre interveniência técnica para contratação de Empresas de Defesa (ED) e Estratégicas de Defesa (EED).

A SEPROD também realizou estudo para a elaboração de protocolo de intenções ou acordo de cooperação com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil) e Confederação Nacional da Indústria (CNI). 

Além disso, a Secretaria vem realizando análise profunda sobre a reforma tributária e os prováveis benefícios fiscais para a Base Industrial de Defesa Naval Militar.

O objetivo é não só garantir as conquistas, como a permanência do Retid ou instrumento equivalente.

Por fim, a Secretaria de Produtos de Defesa estabeleceu planejamento para consolidar as capacidades do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação (DECTI), especialmente no que se refere à Gestão do Conhecimento, Inteligência Tecnológica, Governança da Tecnologia Industrial Básica, Preparação de Recursos Humanos e Integração entre Governo, Universidade e Empresa.

Imagens: ABIMDE/ MD / SEPROD / Imbel / Avibras / Taurus

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje