menú responsive
AMÉRICA | Tierra
-/5 | 0 votos

Sistema de simulação de lançador de foguetes

Exército brasileiro renova acordo com a UFSM para o desenvolvimento do sistema Astros

Disparo do míssil de cruzeiro AV-MTC a partir de um Astros 2020. Imagens: EB/Avibras Aeroespacial

Disparo do míssil de cruzeiro AV-MTC a partir de um Astros 2020. Imagens: EB/Avibras Aeroespacial

29/04/2020 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) renovou convênio com o Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército Brasileiro (EB), para a continuidade no desenvolvimento do projeto “Sistema Integrado de Simulação ASTROS – Grupo de Mísseis e Foguetes (SIS-ASTROS GMF)”, que ocorrerá nos próximos 4 anos.

A parceria tem por finalidade o intercâmbio de recursos técnicos e humanos, buscando desenvolver ações de extensão, ensino e pesquisa, envolvendo interesses mútuos nas áreas de tecnologia da informação e comunicações (TIC), inovação tecnológica, segurança e capacitação de recursos humanos.

Para a UFSM e para a região de Santa Maria significa o reconhecimento e fortalecimento do setor de defesa e TIC, em especial nas áreas de computação e simulação. Os benefícios diretos são a melhoria da qualificação na formação de pessoal na UFSM e a inserção de profissionais especializados para alavancar a indústria de software na região.

O projeto visa o treinamento baseado em simulação para o sistema de artilharia ASTROS, para atender as demandas de ensino do Centro de Instrução de Artilharia de Mísseis e Foguetes, do Comando de Artilharia do Exército, sediado no Forte Santa Bárbara, em Formosa/Goiás.

O ASTROS 2020 é um sistema de lançadores múltiplos de foguetes, produzido pela empresa brasileira AVIBRAS, de São José dos Campos. Opera com foguetes, foguetes guiados e míssil tático de cruzeiro, e envolve altos custos quando, durante os treinamentos, faz uso de munição real.

O projeto SIS-ASTROS GMF deverá gerar novas tecnologias, capazes de melhorar a eficiência da instrução, reduzir o impacto ambiental e o custo do treinamento no Centro de Instrução, permitindo que aulas e instruções ocorram usando apenas computadores, evitando disparos de munições.

A equipe do projeto é composta de sete professores doutores (quatro do Departamento de Computação Aplicada do CT/UFSM, dois do Departamento de Eletrônica e Computação do CT/UFSM e um do Instituto de Informática da UFRGS) e trinta alunos de graduação, pós-graduação e profissionais especializados.

Até o momento, o sistema de simulação desenvolvido já modelou os veículos, criou cenários de emprego diversos, de dia ou a noite, tempo bom ou ruim, com várias características de terreno, topografia, pesos, configurações de munições, etc.

Uma mesa plana digital sensível ao toque, conectada a vídeowall, serve ao escalão superior na simulação de táticas e estratégias do sistema Astros 2020 quando lançado sobre o terreno.

Tablets robustecidos são utilizados para a instrução digital dos operadores, familiarizando a tropa com as características de emprego, manutenção e suporte das viaturas, munições e demais equipamentos Astros 2020.

Nos próximos anos, deverá ser acrescentada a essa estrutura de ensino a simulação do pacote para a aeronave remotamente pilotada empregada na bateria de busca de alvos de cada um dos grupos de mísseis e foguetes baseados em Formosa (Goiás).

Também será acrescentada ao pacote existente o módulo de simulação (secreto) para a preparação, lançamento e seguimento do AV-MTC, o míssil de cruzeiro do sistema e a arma mais tecnologicamente avançada do arsenal do Exército Brasileiro.

 

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje