menú responsive
AMÉRICA | Tierra
-/5 | 0 votos

Contrato com BAE Systems

Brasil vai modernizar 150 veículos blindados M113B enquanto se aguarda um novo veículo de infantaria

capa ares remax m113

03/08/2021 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

O Exército Brasileiro (EB) decidiu modernizar mais um lote de viaturas blindadas de transporte de pessoal (VBTP) M113B para a versão M113BR (150 unidades) ao mesmo tempo em que estuda substituir seus blindados sobre lagartas por uma nova família que englobaria um “infantry fighting vehicle” ( IFV ).

No Boletim do Exército nº 30/2021, de 30 de julho, foi publicado o despacho decisório C Ex Nº 367 que autoriza a assinatura da carta de oferta e aceitação referente a recuperação e atualização de mais 150 viaturas blindadas de transporte de pessoal (VBTP) M113B para a versão M113BR (M113A2 MK.1), por meio do programa do programa Foreign Military Sales (FMS), do Governo dos Estados Unidos da América e tendo como empresa executora, e pela terceira vez, a BAE Systems América.

Terceiro contrato

 

Em janeiro de 2008, o EB publicou uma nova portaria contendo o Requisito Operacional Básico (ROB) para a modernização da parte mecânica e de desempenho do M113 permitindo assim aos VBTP acompanhar os recém-adquiridos CC Leopard 1A5 no campo de batalha.

Dezenove empresas apresentaram propostas, a BAE Systems oferecendo um kit que elevaria o carro ao padrão M113BR contando para esse fim com uma linha de crédito do programa FMS.

A BAE Systems venceu essa concorrência de um lote inicial de 150 veículos no valor de US$ 41,9 milhões, os trabalhos sendo realizados no Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar (PqRMnt/5) de Curitiba (PR).

Esta fase foi concluída em dezembro de 2015. Em meados desse mesmo ano, um novo contrato foi assinado com a BAE Systems, no valor de US$ 54,66 milhões, para a modernização de mais 236 veículos para o padrão BR.

Este contrato foi concluído em 2020.

M113 modernizado com SARC REMAX?

 

Os requisitos do novo veículo do tipo IFV foram apresentados em fevereiro/março de 2020 ao Alto Comando do Exército, e os debates decorrentes suscitaram a possibilidade de se implantar sistemas de armas mais sofisticados em alguns desses M113 do chamado 3º lote.

Essa opção, além de aumentar a capacidade operacional das Forças-Tarefas Blindadas (FT Bld) auxiliaria na criação de uma doutrina operacional nos moldes de blindados IFV antes mesmo da adoção do sucessor desses M113BR.

A SARC REMAX, da Ares Aeroespacial e Defesa, é o sistema de armas mais adequado para “carregar” essa transição doutrinária e com um detalhe adicional importante, sua instalação e/ou remoção dos M113BR não implica em nenhum tipo de modificação ou cirurgia nos blindados, portanto, ela pode ser reinstalada em outros veículos.

Desenvolvido a partir dos requisitos do EB, por meio de uma parceria da empresa ARES Aeroespacial e Defesa com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx), o sistema de armamento remotamente controlado (SARC) REMAX, é uma estação de armas remotamente controlada giro-estabilizada para metralhadoras 12,7 mm e 7,62 mm dotado de sensores ópticos e laser de precisão que garantem a detecção, o reconhecimento e identificação de alvos, seja na operação diurna ou noturna, dando assim as Forças Tarefas Blindadas uma vantagem tática que atualmente elas não possuem de forma massiva.

Imagens: Roberto Caiafa/ARES Aeroespacial e Defesa

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje