Avibras e Mectron entregam 1º Exocet AV-RE40 modernizado da Marinha do Brasil
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Armada (Portugués) >

Avibras e Mectron entregam 1º Exocet AV-RE40 modernizado da Marinha do Brasil

Exocet AVIBRAS modernizee
|

(Infodefensa.com) R. Caiafa, Belo Horizonte (Brasil) – As empresas Avibras e Mectron entregaram a primeira unidade de mísseis MBDA Exocet AV-RE40 atualizado para a Marinha do Brasil. A modernização é baseado em um novo motor de propulsão e de qualificação do sistema de telemetria e guia.

Presidente Avibras, Sami Youssef Hassuani, confirmou a entrega do primeiro míssil cabeça de série da encomenda cujo contrato envolve todos os mísseis deste modelo ainda hoje disponíveis no país.

O executivo não revelou, no entanto, o número de unidades a serem modernizadas, por se tratar de informação confidencial da Marinha. Somente depois de um período de 12 meses, tempo necessário para os testes e aferições da própria Marinha, é que a empresa dará seguimento à remotorização das demais unidades contratadas.

O míssil Exocet, na sua versão MM-40, superfície-superfície, é empregado pelas fragatas da classe Niterói e corvetas da classe Inhaúma e Barroso. Ciente do fim da vida útil dos propulsores após quase trinta anos, a Marinha Brasileira planejou não só a remotorização dos mísseis em arsenal para a versão denominada AV-RE40, como este trabalho servirá de base para o desenvolvimento e fabricação no Brasil do MANSUP (Míssil Anti-Navio de Superfície), uma versão nacionalizada e extensamente atualizada do Exocet, dotada com maior alcance e novo sistema de guiamento desenvolvido pelas empresas brasileiras AVIBRAS (propelente e motor) e Mectron (qualificação dos sistemas de telemetria e guia), em parceria com o gigante europeu MBDA.

Hassuani revelou que a reforma resultará na troca de dois terços dos mísseis, assegurando mais uma década de serviço do Exocet junto a Marinha do Brasil. Avibras é em meio a um processo de reestruturação que poderá resultar na entrada de novos sócios privados na empresa.

Avibras se prepara para entrar na licitação conhecida como F-X2 - renovação da frota de caças da Força Aérea Brasileira - a partir de 2012, independentemente do fornecedor escolhido pelo governo. Caberá à Avibras, segundo Hassuani, desenvolver o sistema de armas do futuro jato de combate da FAB.

“A Avibras investe uma média de 10% a 15% de seu faturamento em pesquisa e desenvolvimento (P&D), uma vez que o negócio depende diretamente de tecnologia", revelou o Presidente Hassuani, ao exaltar o bom momento vivido novamente pela indústria de defesa do país, com a retomada do reaparelhamento das Forças Armadas. "No ano passado, faturamos R$ 220 milhões, 'e o nosso investimento em P&D gira em torno de R$ 30 milhões".

Lea la noticia en español.



Recomendamos