Contrato de compra do Super Tucano é cancelado pela Força Aérea Norte Americana
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Aire (Portugués) >

Contrato de compra do Super Tucano é cancelado pela Força Aérea Norte Americana

A 29A Super Tucano FAB Roberto Caiafa
|

(Infodefensa.com) R. Caiafa, Sao Paulo - A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) informou hoje (terça-feira) que esta colocando de lado o contrato de US$ 355 milhões correspondente à compra de 20 aeronaves EMB-314 Super Tucano da Embraer. A decisão estaria relacionada com problemas detectados na documentação que levou à opção pelo avião brasileiro. O comandante da área de materiais da USAF, Donald Hoffman, ordenou uma investigação.

No dia 30 de dezembro de 2011 a USAF anunciava o Super Tucano como vencedor da concorrência LAS (Light Air Support) para a seleção de um modelo de aeronave adequado para operações de guerra assimétrica (anti-guerrilha), patrulhamento e treinamento. Contudo, a concorrente Hawker Beechcraft, fabricante do AT-6B Texan II, a aeronave derrotada, entrou com uma ação contestatória do resultado da licitação. A Embraer, cumprindo o que determina a lei americana, estabeleceu parceria com a estadunidense Sierra Nevada Corporation, empresa local encarregada de produzir os Super Tucanos que seriam comprados pelo governo norte-americano e repassados as forças de defesa afegãs.

A Embraer lamenta o cancelamento do contrato referente à aquisição do avião de combate leve para o projeto Light Air Support (LAS). Junto com sua parceira nos Estados Unidos, Sierra Nevada Corporation (SNC), a Embraer participou do referido processo de seleção disponibilizando, sem exceção e no prazo próprio, toda a documentação requerida.

A decisão a favor do Super Tucano, divulgada no dia 30 de dezembro de 2011 pela Força Aérea dos Estados Unidos, foi uma escolha pelo melhor produto, com desempenho em ação já comprovado e capaz de atender com maior eficiência às demandas apresentadas pelo cliente.

Embraer entende que oferece a melhor solução para a Força Aérea dos Estados Unidos, e aguardará mais esclarecimentos sobre o assunto, junto com sua parceira Sierra Nevada Corporation, para decidir os próximos passos.



Recomendamos