menú responsive
AMÉRICA | Empresas
-/5 | 0 votos

Análisis Infodefensa

Hercules usados, o pior pesadelo para o Embraer KC-390

Embraer KC-390. Foto: Embraer

Embraer KC-390. Foto: Embraer

18/02/2021 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

As ações da Embraer (EMBR3, R$ 11,50, +14,09%) valorizaram mais de 14% na última quarta-feira (17/02), apesar do cenário ainda complicado para a fabricante de aeronaves em meio ao cenário de pandemia do coronavírus.

A valorização dos papéis da Embraer aconteceu depois que foi divulgado ao mercado negociações com a alemã Lufthansa sobre a troca de alguns pedidos de aeronaves maiores por modelos menores de longa distância, ajudando a adaptar a frota da empresa germânica a uma queda duradoura nas viagens de negócios intercontinentais, enquanto a crise do coronavírus aumenta a demanda interna.

As declarações de Carsten Spohr, CEO do grupo Lufthansa, aconteceram durante um Simpósio da London School of Economics.

Spohr confirmou que a Lufthansa está em conversas com a Embraer, cujos aviões regionais são operados pela própria Lufthansa e pelas subsidiárias Austrian e Air Dolomiti.

De acordo com analistas de mercado, os jatos da Embraer podem ser compreendidos como mais adequados para esse novo momento da aviação onde é preciso ter custos mais baixos possíveis.

Essa valorização começou a crescer quando a Embraer anunciou, na última sexta-feira (12/02) a entrega de 71 jatos no quarto trimestre.

Apesar de os números demonstrarem uma retomada de produção mais rápida que a esperada, e importante ressaltar que o último trimestre se mostra mais favorável para a realização de entregas e isso não pode deixar de ser observado.

Momento decisivo para o KC-390 Millennium

 

Para a divisão militar da Embraer, essa revalorização da empresa acontece em um momento crucial para o Programa KC-390 Millennium, que, como esperado e anunciado por muitos analistas, viu alguns potenciais compradores como Uruguai e Peru optarem pela compra do maior pesadelo do KC-390, aeronaves Hércules usadas, no caso, fornecidas pela Espanha, atualmente focada em manter em serviço sua frota de quadrimotores Airbus A400M Atlas.

Argentina e República Tcheca não confirmam suas compras de KC-390 mas continuaram produzindo peças e componentes para o programa da aeronave, mantendo empregos localmente enquanto as compras de Hungria e Portugal trouxeram um “gás” renovado ao programa.

O excepcional desempenho do KC-390 Millennium durante sua estadia nos Estados Unidos para participar da Operação Culminating permitiu a realização de comparações importantes para o futuro da aeronave, já que o avião brasileiro voou lado a lado com os Super Hércules C-130J e C-5 Galaxy da Força Aérea dos Estados Unidos e saiu-se muito bem.

Enquanto o único Antonov AN-178 em condições de voar é apenas um protótipo adquirido pelo Peru (que não tem garantias de que receberá seu exemplar) e outra aeronave do tipo encontra-se acumulando pó sem condições de voo em um hangar da Antonov na Ucrânia, antigos Hércules espanhóis, bastante usados, voltam a renovar a fé inabalável que militares sul-americanos devotam a equipamentos antiquados.

Com o recente anúncio da aposentadoria dos C-130 Hércules brasileiros a partir de 2024 (22 exemplares com sete operacionais na atualidade), a possibilidade de a Força Aérea Brasileira inundar o mercado com células de C-130 usados em breve deve deixar muita gente na Embraer preocupada.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje