menú responsive
AMÉRICA | Personas
-/5 | 0 votos

Eleições nos empregadores de defesa brasileiros

R. Gallo e L. Nogueira serão os novos gestores da Abimde

O Dr. Roberto Gallo, CEO da empresa KRYPTUS, é o novo presidente da ABIMDE para o biênio 2019/21.

O Dr. Roberto Gallo, CEO da empresa KRYPTUS, é o novo presidente da ABIMDE para o biênio 2019/21.

24/01/2019 | Belo Horizonte

Roberto Caiafa

Após uma intensa e inédita disputa política, a eleição realizada na Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) revelou o vencedor na última terça (22/01).

O Dr. Roberto Gallo, CEO da empresa KRYPTUS, é o novo presidente da instituição, e o 1º vice-presidente é Leonardo Nogueira, CEO da empresa ALTAVE EED S/A.

Ambos teem em comum a juventude e paixão típicas dos empreendedores. A posse da nova presidência e diretoria ocorrerá no próximo dia 31 de janeiro.

A disputa revelou o tamanho do “racha” dentro da instituição, na primeira eleição realizada com duas chapas, a prática anterior era a apresentação de uma chapa única, o certame apenas confirmando os nomes.

A chapa da situação, denominada Verde e Amarelo, foi liderada por Carlos Alberto Macedo Cidade (AVIBRAS) para presidente e Carlos Frederico Aguiar (POWER Defesa) para vice-presidente (atual presidente - foto).

A chapa de oposição, denominada Força Empresarial Brasileira II, foi liderada por Roberto Gallo (KRYPTUS) para presidente e Leonardo Nogueira (ALTAVE) para vice-presidente.

Previstas para ocorrerem em outubro de 2018, as eleições atrasaram por três meses devido a manobras de bastidores como, por exemplo, a impugnação de chapas. O clima foi tenso durante todo o processo.

Na busca de um acordo entre os grupos em disputa, a votação foi transferida para o final de janeiro.

Após a apuração, e por uma diferença de 10 votos (98x88) a Chapa Força Empresarial Brasileira II, a primeira de oposição em uma eleição da ABIMDE, venceu a contenda para o período 2019/2021.

Os principais pontos defendidos pela chapa vencedora estão listados em quatro tópicos, todos voltados para a recuperação e expansão da Base Industrial de Defesa brasileira (BID), e explicitados em detalhe por Roberto Gallo, novo presidente eleito da ABIMDE:

i.    Ajuste das políticas públicas relacionadas aos setores de Defesa e Segurança, em especial, a previsibilidade de recursos e projetos, ajustes nos instrumentos de crédito e fomento, em particular na questão de garantias financeiras e garantias de compras e na equalização tributária de produtos importados, incluindo nas “Comissões de Compras” estrangeiras;

ii.    Facilitação e promoção de networking (sem intermediários) no Brasil e no exterior (via eventos, rodadas de negócio e colaboração com outras Associações internacionais), permitindo a exploração indireta de dualidade e de exportação, por meio da horizontalização da cadeia produtiva.

iii.    Quanto à exportação, facilitar a capacitação das associadas, a validação (homologação) dos produtos de defesa e segurança pelos entes Estatais brasileiros e pela diplomacia de Estado de Defesa, apoiando-se nas FFAA e também no novo papel do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores);

iv.    Quanto à dualidade, por meio da aproximação com outras associações de indústria, como ABIMAQ, ABES, FEBRABAN, trabalhar no sentido do desdobramento de tecnologias de Defesa e Segurança para os mercados civis, bem como nas integrações de cadeias produtivas.

Segundo Galo “É importante entender que a instituição precisa se modernizar. Para isso observamos que muitas empresas têm capacidade e capacitação para fornecer para as forças de segurança e forças armadas. Mas por falta de inserção no setor, não enxergam isso. Trabalharemos para buscar mais empresas, tornando a ABIMDE mais forte. Como toda atividade econômica, a Base Industrial de Defesa brasileira sofre e sempre sofrerá com pressões de mercado como fraca demanda, questões de crédito, concorrência ou mera obsolescência tecnológica. Além disso, o setor enfrenta um monopsônio (monopólio do comprador) com compras irregulares, desalinhamento de instrumentos de crédito (para inovação, exportação, etc.), brechas na proteção concorrencial e demandas tecnológicas arbitrárias e não programadas.” afirma o empresário.

Imagens: ABIMDE, Roberto Caiafa, Youtube

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje