Bateria de Busca de Alvos do 9º GAC realiza Experimentação Doutrinária com SARP
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Brasil (Portugués) >

Bateria de Busca de Alvos do 9º GAC realiza Experimentação Doutrinária com SARP

FT 100 flight
|

(Especial Infodron para Infodefensa) A cidade de Nioaque, no Mato Grosso do Sul, é uma importante base de unidades militares integrantes do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).

No último dia 13 de fevereiro, foi concluída pelo Exército Brasileiro a formação da primeira dupla de pilotos capacitados a voar o Sistema de Aeronave Remotamente Pilotado (SARP) Horus FT 100.

O treinamento contou com o apoio de técnicos da empresa FT Sistemas S/A, sediada em São José dos Campos (SP), e constou de missões simuladas de lançamento, voo de cruzeiro, detecção de alvos e recolhimento do SARP.

O Sistema FT 100 foi padronizado pelo Exército Brasileiro para atender às mais diversas missões, como busca de alvos, apoio às infiltrações, monitoramento, vigilância, reconhecimento e acompanhamento de comboios, dentre outras.

Trata-se primeira aeronave remotamente pilotada de fabricação nacional a ser exportada, voando também sobre o território de nações amigas. Acondicionado em uma mochila especial para transporte pela infantaria, pode ser montado e lançado em questão de minutos, ampliando enormemente a consciência situacional da tropa operando no terreno.

O curso concluído em Nioaque faz parte da Experimentação Doutrinária da Bateria de Busca de Alvos, conduzida pelo 9º Grupo de Artilharia de Campanha.

O Horus FT-100 faz parte do esforço de atualização da Artilharia do Exército Brasileiro, que inclui novos e modernos equipamentos como o sistema computadorizado de comando e controle para a função de combate fogos (direção e coordenação de tiro), denominado Gênesis.

No entanto, permanece a questão da atualização dos obuseiros, especialmente do calibre 155mm modelo M-114 M1A1, de origem norte-americana e empregados em suas variantes, desde a 2ª Guerra Mundial.

Essas armas, mesmo recebendo uma lista de atualizações e sendo mantidas em excelentes condições, tem um alcance prático de pouco mais de 9 km, claramente insuficiente para bater por fogos um inimigo bem equipado.

Imagens: FT Sistemas/ 9º Grupo de Artilharia de Campanha/Roberto Caiafa



Recomendamos