menú responsive
AMÉRICA | Personas
-/5 | 0 votos

Estado maior Conjunto das Forças Armadas e Secretaria Geral

Ministério da Defesa do Brasil tem novas chefias

O ministro de Defesa, Fernando Azevedo, tenente-brigadeiro do Ar Raul Botelho e almirante de Esquadra Almir Garnier Santos.

O ministro de Defesa, Fernando Azevedo, tenente-brigadeiro do Ar Raul Botelho e almirante de Esquadra Almir Garnier Santos.

22/01/2019 | Belo Horizonte

Roberto Caiafa

Na última terça-feira (15), assumiram os novos chefes do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) e da Secretaria Geral do Ministério da Defesa.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, presidiu a solenidade.

O tenente-brigadeiro do Ar Raul Botelho entra no lugar do almirante de Esquadra Ademir Sobrinho.

Compete ao EMCFA elaborar o planejamento do emprego conjunto das Forças Armadas e assessorar o ministro da Defesa no planejamento das operações e exercícios conjuntos, como em operações de paz.

O almirante de Esquadra Almir Garnier Santos substitui o tenente-brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira na Secretaria Geral.

A SG define as diretrizes, supervisiona, coordena e controla as demais secretarias integrantes da estrutura do MD e do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), entre outras atividades.

Nas palavras de despedida, o almirante Ademir ressaltou os momentos intensos que viveu como chefe do EMCFA e as realizações que o cargo proporcionou. "Apesar de ter me preparado, quando assumi esta missão, para deixar de usar farda, uma segunda pele, que envergo praticamente quase todos os dias há praticamente 49 anos, sempre achei que esse dia não chegaria. Isso, sem dúvidas, se deve à satisfação profissional", disse.

O recém-chegado, brigadeiro Botelho, afirmou que as responsabilidades do EMCFA são inúmeras, mas a "interoperabilidade e complementariedade entre as Forças Armadas e de segurança não são mais uma escolha e, sim, uma imposição para o adestramento e enfrentamento de uma eventual ameaça", ressaltou.

Em seu discurso, o brigadeiro Amaral agradeceu nominalmente a equipe que trabalhou com ele nos meses que esteve à frente da seção. "Esperamos ter sido úteis e atendido o mínimo das expectativas que o ministro colocou quando assumi o cargo, a mais marcante delas relacionada à premência de o Ministério da Defesa alcançar a maioridade efetiva no desempenho de suas atribuições e no relacionamento com as Forças Singulares, por já contar com 19 anos desde a sua criação", lembrou.

Em discurso emocionado, o almirante Garnier expressou a gratidão em assumir a função. Ao relembrar sua trajetória, de família humilde, repetiu o conselho que sua mãe dava: "filho de pobre que quer ser alguma coisa na vida precisa estudar”. Disse ainda que o pai “precisou fazer um crediário para comprar meu primeiro terno que necessitava para me apresentar na Escola Naval. Procurarei responder o cargo no limite da minha capacidade", afirmou o novo secretário-geral.

Ao finalizar a cerimônia, o ministro Fernando Azevedo realçou a capacidade gerencial do almirante Ademir Sobrinho, que está deixando o EMCFA. Ele considerou como “decisiva para a solução de inúmeros temas nas áreas das políticas e estratégias de defesa, nas relações internacionais, na logística, na mobilização e no serviço militar”, enumerou.

O ministro ressaltou a liderança carismática do brigadeiro Amaral, que disseminou a harmonia no ambiente de trabalho. “Os nossos agradecimentos pelo legado de realizações que o Brigadeiro Amaral deixou. A Força Aérea pode se orgulhar do seu trabalho”, concluiu.

Imagens: Ministério da Defesa

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

APPS

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje