menú responsive
AMÉRICA | Tierra
-/5 | 0 votos

Treinamento nos Estados Unidos

Paraquedistas do Exército Brasileiro prontos para pular no exercício Culminating


Los paracaidistas del Ejército de Brasil, listos para el salto en el ejercicio Culminating


 Ver galería de fotos

26/01/2021 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

Mais de cem pára-quedistas do Exército Brasileiro estão preparados para iniciar o exercício Culminating com a Brigada Pantera do Exército dos Estados Unidos, no centro de Fort Polk, Louisiana.

O exercício consistirá em uma avaliação completa de 10 dias da capacidade da Brigada Pantera de preparar, lançar e manobrar rapidamente paraquedistas e seus equipamentos em dezoito horas, com o apoio da 82ª Brigada de Aviação de Combate e da 82ª Brigada de Apoio da Divisão Aerotransportada. Nos últimos cinco dias de treinamento, serão realizadas ações de fogo real.

Exercício Culminating é a última fase de um intercâmbio entre os exércitos dos dois países realizado ao longo de cinco anos

Participação KC-390

 

Uma aeronave KC-390 Millennium do 1st Troop Transport Group participará do exercício. Esta será a primeira oportunidade para as aeronaves fabricadas pela Embraer operarem em cenários simulados de conflito, enquanto o mercado internacional acompanha atentamente seu desempenho.

“Diante de todos os avanços tecnológicos que o KC-390 proporciona, quando a aeronave tem a possibilidade de operar em conjunto com outras Forças, é possível aprimorar a doutrina verificando as características do cenário atual”, disse o Major Aviador Rafael Portella Santos, um dos pilotos que compõem a equipe da aeronave.

De acordo com as diretrizes sanitárias estabelecidas pela organização do exercício, os militares cumpriram o período de isolamento social nas instalações designadas para o efeito no Forte Polk.

Ao longo desse período, os militares treinaram atividades teóricas (simuladores) para voos regulares, incluindo um pacote de voos envolvendo aeronaves dos Estados Unidos, Itália e Canadá, com o lançamento de cerca de 4.000 paraquedistas em uma única noite.

O coordenador do exercício, aviador Daniel Elias Souza, detalhou a importância do período de adaptação: “O que fizemos durante a quarentena foi desenvolver ainda mais a doutrina, a mentalidade de segurança e aspectos do tráfego aéreo local”.

“O objetivo agora é atuar nos cenários impostos ao plantel durante o exercício, em conjunto com o Exército dos Estados Unidos, a Força Aérea dos Estados Unidos e o Exército Brasileiro, com segurança e eficiência”, explicou o major.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje