XMobots entregará em breve o sistema Nauru 1000C ao Exército Brasileiro
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Tierra (Portugués) >

XMobots entregará em breve o sistema Nauru 1000C ao Exército Brasileiro

Tudo Nauru 1000c 656x400
Um sistema completo com três Nauru 1000C pode ser despachado dentro de um conteiner padrão para qualquer lugar do mundo, por terra, mar e ar (Imagem: XMobots)
|

A empresa brasileira fabricante de drones XMobots realizará brevemente a entrega dos primeiros SARP CAT 2 Nauru 1000C ao Exército Brasileiro.

O sistema adquirido conta com três unidades do RPA VTOL (10 horas de autonomia) Nauru 1000C, duas unidades intercambiáveis do sensor gimbal EO/ MWIR XSIS 222A (desenvolvido pela Xmobots), dois radares intercambiáveis, um do tipo indicador de alvos móveis no solo (GMTI) e outro do tipo abertura sintética (SAR), terminais de comunicação, estações de controle montadas em shelter modelo contêiner auto-rebocável.

Centro de comando do nauru

As estações de missão do sistema Nauru 1000C, podem comandar até três drones simultaneamente (Imagem: Xmobots)

Essa configuração de sistema foi uma demanda do Exército para suas missões de Defesa, Segurança e Vigilância no território nacional.

A XMobots atuou conjuntamente não só na fabricação do sistema, mas também no treinamento de futuros operadores do SARP CAT 2 Nauru 1000C, tanto no âmbito da tecnologia empregada como nas funcionalidades e modos de operação dos sensores e equipamentos.

Realizado com mais de 660 horas de ensino teórico e 200 horas de ensino prático (voo, manutenção e operação), o treinamento ministrado pela empresa à equipe do Exército, abrangeu sete fases.

As primeiras fases destinam-se aos voos VLOS (Visual-Line-Of-Sight ou voos dentro da visada) abaixo de 400ft e voos BVLOS (Beyond-Visual-Line-Of-Sight ou voos além da visada) acima de 400ft, ambas realizadas com os RPAs classe 3 (até 25kg) da XMobots, Arator 5C e Nauru 500C.

Finalizadas essas fases, o treinamento prossegue com as operações com drone classe 2 (com peso de decolagem entre 25kg e 150kg), no caso, o próprio Nauru 1000C.

Nauru6

Equipes do Exército Brasileiro estão sendo treinadas na operação do Nauru 1000C (Imagem: Xmobots)

Segundo Giovani Amianti, CEO da XMobots, um fato relevante neste treinamento é que, como a empresa conta com examinadores oficiais credenciados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para a formação de pilotos de RPAS, pela primeira vez no Brasil foi realizado um check de piloto de drone por examinador credenciado para obtenção de licença e habilitação para voos acima de 400ft, em espaço aéreo F e G – sendo concedida aos militares do Exército as certificações para voos VLOS e BVLOS acima de 400ft, com RPAS classe 3. “Este check foi realizado pela equipe ao final de fevereiro, sendo o primeiro check para piloto de drone realizado sem a presença da ANAC, e sim com um examinador credenciado pela mesma. Para a XMobots, sem dúvida é motivo de orgulho”, ressalta Amianti.

Nauru7

Antes de voarem o Nauru 1000C, militares aprendem a operar o Nauru 500, de modo a escalar o aprendizado de pilotagem e operação (Imagem: Xmobots)

“Este é um momento histórico para a XMobots e o mercado de drones brasileiro. Depois de uma longa preparação, desenvolvendo metodologias em parceria com a ANAC, tive o privilégio de realizar o check de operadores militares de RPAS como examinador credenciado da ANAC. E a equipe de candidatos não poderia ser melhor”, salientou Moisés Pedrici, responsável pelo treinamento.

Na opinião de Pedrici, a disciplina, o conhecimento técnico e a inteligência nas tomadas de decisões demonstrada pela equipe do Exército Brasileiro são indicativos importantes de que o sistema Nauru 1000C será usado em todo o seu potencial pelos militares brasileiros.

Tecnologia de Ponta no Continente

Nauru 1000C – CAT2, da XMobots, pode atuar em missões de segurança, vigilância e monitoramento de fronteira terrestre, sendo até o único de seu tipo desenvolvido e fabricado na América Latina para este propósito, até o momento.

Sendo um RPA VTOL (Vertical Take-Off and Landing), o Nauru 1000C realiza decolagens e pousos verticais automáticos, facilitando as operações.

Nauru3

O Nauru 1000C, o mais sofisticado SARP RPA em serviço na América Latina, de fabricação nacional (Roberto Caiafa)

O Nauru conta com um tanque de 50 litros para combustível, e o sistema VTOL elétrico se apoia na eficiência de 8 motores com baterias independentes; sua estrutura é fabricada em alumínio e materiais compósitos.

Com peso máximo de decolagem de 150 kg e alcance máximo de 60 km, o Nauru 1000C executa vários tipos de monitoramento aéreo, de até 10 horas de operação, sejam missões diurnas ou noturnas. 

O modelo apresenta grande versatilidade, pois foi desenvolvido para missões que exigem operações em cenários diversos, suportando chuva fina, leve ou neblina.

O sistema Nauru 1000C conta com tecnologia de ponta e leva embarcado uma torreta estabilizada com optrônicos no espectro visível (EO), infravermelho médio (MWIR), telerômetro laser (LRF) e designador laser (LP) para missões de vigilância, reconhecimento, inteligência e aquisição de alvos.

Camera do FW150

Close do sensor XSIS (XMobots Stabilized Imaging System), desenvolvido pela XMobots (Imagem: Xmobots) 

O sensor XSIS (XMobots Stabilized Imaging System), desenvolvido pela XMobots, é composto por um sistema estabilizador de 85 micro radianos, de elevada performance, responsável por estabilizar os seguintes componentes: Sensor EO (câmera Eletro-Óptica); Sensor IR (câmera Infravermelha de comprimento de onda médio MWIR); Sensor telerômetro (Laser Range Finder para cálculo de distância ao alvo) Apontador laser IR.

Este sistema permite a captura de imagens estabilizadas em altíssima definição, tanto em ambientes iluminados quanto em ambientes escuros por meio de sua câmera termal.

Além disso, o sensor XSIS permite a determinação das coordenadas geográficas dos alvos, rastreio automático de alvos fixos e móveis, além da designação e marcação de alvos por meio de laser invisível.


Nauru4

Militares do Exército Brasileiro conduzem as operações do Nauru 1000C a partir do shelter auto-rebocável (Imagem: Xmobots)

Por apresentar uma vasta experiência no desenvolvimento de sistemas aviônicos, a XMobots desenvolveu o Nauru 1000C com dois pilotos automáticos, garantindo a redundância em todos os sistemas da aeronave, oferecendo, desta forma, melhor segurança nas operações.

O Sistema Nauru 1000C ainda conta com uma estação de controle do FW150 e do sistema gimbal XSIS, projetada como contêiner e desenvolvio pela XMobots.

Ainda é possível controlar o sistema a partir de uma unidade móvel (Shelter) de 2,5 toneladas como sua unidade móvel, projetada para ser rebocada por veículos.

Centro de comando do nauru fw150 1024x608

O Contêiner/ Shelter apresenta capacidade para armazenar 3 RPAs, 2 GDTs (Ground Data Termina – Sistema de Telecomunicações com Apontamento Automático) e 3 GCS (Ground Control Station – Estações de Controle de Solo), além de proteger a equipe de operações durante as missões. (imagem: Xmobots)

O contêiner com sua estação de controle apresenta acesso por impressão digital, luzes de emergência, ar-condicionado e assentos ergonômicos. É um conforto que garante a redução de stress dos operadores durante as missões.

As GCS multifuncionais foram desenvolvidas para substituir o laptop tradicional nas missões em que ergonomia e equipamentos de vigilância são essenciais para redução na carga de trabalho dos pilotos.

Ficha Técnica:

Nauru 1000C

  • Dimensões: Envergadura 7,7 m | Comprimento 2,9 m | Altura 0,98 m
  • Peso Máximo à Decolagem (MTOW): 150 kgf
  • Peso Máximo de Cargas Pagas: 18,0 kgf
  • Aeronave VTOL: Asa fixa + multirotor
  • Propulsão híbrida: Combustão e elétrica (monomotor asa fixa, octacóptero multirotor)
  • Autonomia: 10 h
  • Velocidade cruzeiro: 111 Km/h
  • Teto operacional: 10.000 ft
  • MTOW: 150 kg

    Nauru1

    O Nauru 1000C, fabricado no Brasil, é o mais completo sistema drone de emprego militar já adotado pelo Exército Brasileiro (Imagem: Roberto Caiafa) 



Recomendamos


Lo más visto