menú responsive
AMÉRICA | Tierra
-/5 | 0 votos

Será capaz de operar o SARP e aeronaves de ataque

Exército Brasileiro amplia escopo operacional de sua aviação

Embraer A-29 Super Tucano. Foto: Embraer

Embraer A-29 Super Tucano. Foto: Embraer

04/06/2020 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

O Decreto nº 10.386, de 2 de junho de 2020, publicado no Diário Oficial da União, em seu artigo 1º, “dispõe sobre a Aviação do Exército, que se destina à operação de vetores aéreos necessários ao cumprimento das missões do Exército Brasileiro”, e revoga o Decreto Nº 93.206, de setembro de 1986, cujo 1º artigo dizia “Fica criada a Aviação do Exército, destinada à operação de helicópteros necessários ao cumprimento da missão da Força Terrestre”.

Na prática, o Decreto nº 10.386 determina que o Exército Brasileiro não está mais limitado a operação de asas rotativas (helicópteros), e a partir de agora, está legalmente habilitado a operar aeronaves de asas fixas, sejam elas de transporte, sistemas aéreos remotamente pilotados (SARP) ou mesmo aeronaves de ataque ao solo e apoio aéreo aproximado como, por exemplo, o Embraer A-29 Super Tucano.

Essa atualização, há muito pleiteada pela Força Terrestre,...

Contenido gratuito disponible para suscriptores

 

Si todavía no se ha suscrito, pinche aquí, el registro es totalmente gratuito. En caso contrario, introduzca sus datos:

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje