menú responsive
AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

Treinamento conjunto entre as três forças

Brasil padroniza procedimentos para voos noturnos de helicópteros H225M


Brasil estandariza los procedimientos para los vuelos nocturnos de helicópteros H225M


23/08/2021 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

As Forças Armadas realizaram na região da cidade de Taubaté, interior do Estado de São Paulo, a 2ª fase da Operação Ricardo Kirk, encerrada na última sexta-feira (20/08).

O adestramento conjunto ocorreu no Comando de Aviação do Exército (CAvEx).

O treinamento inédito contou com helicópteros H225M e emprego de óculos de visão noturna ou OVN do tipo ANVIS-9

A 2ª etapa da Operação Ricardo Kirk- nome do militar que foi o 1º oficial aviador do Exército Brasileiro – reuniu as três Forças, Marinha, Aeronáutica e Exército. 

O exercício conjunto buscou, segundo nota do Ministério da Defesa, a interoperabilidade entre as Forças e a padronização de procedimentos na condução de helicópteros em voos noturnos, utilizando OVN.

Na oportunidade, militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica compartilharam e padronizaram procedimentos em helicópteros modelo H225M, projeto estratégico do Ministério da Defesa.

Iniciado em julho, o treinamento foi dividido em etapas: a segunda ocorreu entre 16 e 20 de agosto e consistiu em atividades de incursão aeromóvel noturna. 

A primeira, entre 25 e 30 de julho, foi destinada ao nivelamento doutrinário de técnicas e táticas.

Aviação do Exército

 

Situada a 130 quilômetros da capital paulista, a cidade de Taubaté abriga o Comando de Aviação do Exército (CAvEx) – Forte Ricardo Kirk

No local, estão sediadas oito organizações militares da aviação da Força Terrestre.

“Temos uma estrutura completa de treinamento, com simulação e vetores aéreos adaptados ao voo com equipamento de visão noturna. Uma área de instrução muito favorável no Vale do Paraíba”, explica o Comandante da Aviação do Exército, General de Brigada Ricardo José Nigri.

O curso de formação dos pilotos de aeronaves tem a duração de 63 semanas, sendo composto por fase teórica, estágio prático de pilotagem em simulador, fase tática e com óculos de visão noturna.

No Forte Ricardo Kirk, os alunos são capacitados para executar ações aeromóveis de emergência, de emprego geral, entre outras.

Simuladores de voo

 

A Divisão de Simulação de Voo do Centro de Instrução de Aviação do Exército (CIAvEx) é constituída por três prédios, abrangendo parte administrativa, salas de aula e de simulação de voo. 

Os equipamentos são considerados meios favoráveis para o processo de aprendizagem e para obter algum tipo de aperfeiçoamento.

Os simuladores de voo do CIAvEx foram desenvolvidos para capacitar desde a instrução básica dos pilotos até o treinamento tático em missões. 

O emprego desses equipamentos proporciona benefícios como ampliação da segurança, padronização de procedimentos e diminuição de custos com horas de voo nas aeronaves.

Imagens: Ministério da Defesa/CAvEx

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje