menú responsive
AMÉRICA | Armada
-/5 | 0 votos

Pandemia Covid-19

Marinha do Brasil e Universidade de São Paulo desenvolvem respirador pulmonar

Respirador pulmonar desenvolvido pela Marinha e pela USP. Foto: Marinha do Brasil

Respirador pulmonar desenvolvido pela Marinha e pela USP. Foto: Marinha do Brasil

06/06/2020 | Belo Horizonte

Roberto Valadares Caiafa

A Marinha do Brasil vem desenvolvendo dispositivos para a reabilitação de infectados com a Covid-19 em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

As duas instituições preparam-se para iniciar produção em escala de um ventilador pulmonar emergencial batizado com o nome 'Inspire'.

O aparelho foi desenvolvido por equipe de pesquisadores da Escola Politécnica (Poli) da USP.

De baixo custo, o equipamento pode ser produzido em até duas horas, com tecnologia nacional e preço inferior ao dos aparelhos disponíveis atualmente no mercado.

Em tempos de pandemia, militares pesquisadores e cientistas das Forças Armadas Brasileiras trabalham sem descanso na busca de soluções para enfrentar o Covid-19.

Sob a supervisão da Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM), a produção das estruturas mecânicas conta com a participação do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP) e do Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais (CTecCFN).

Tanto o projeto técnico quanto a produção do protótipo dos respiradores foram concebidos e aperfeiçoados pelos engenheiros integrantes do Projeto de Desenvolvimento da Planta Nuclear Embarcada (PNE), do primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear.

A produção será feita no Laboratório da Sede do CTMSP, no próprio campus da Universidade de São Paulo (USP), com a participação de técnicos do Centro Experimental Aramar (CEA).

A estimativa inicial é que sejam produzidos de 25 a 50 ventiladores pulmonares por dia. Essa capacidade poderá ser ampliada caso haja necessidade.

Até o momento, a primeira fase do projeto foi concluída com êxito. Foram fabricados dez protótipos e desenvolvido o modelo que consolidou o primeiro dos respiradores, denominado “Cabeça de Série”.

A USP, com o apoio da Marinha, está empenhada na aquisição dos últimos componentes críticos e insumos, e em submeter o equipamento a testes e avaliações das autoridades competentes. Assim que for obtida sua homologação, o novo equipamento será produzido em escala e disponibilizado para uso emergencial.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje