Brasil avança no desenvolvimento do míssil de cruzeiro MTC-300 e do foguete guiado SS-40G
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Tierra (Portugués) >

Brasil avança no desenvolvimento do míssil de cruzeiro MTC-300 e do foguete guiado SS-40G

STREV entrega EB 31
|

O Centro de Avaliações do Exército (CAEx) recebeu o Sistema Transportável de Rastreio de Engenhos em Voo (STREV), capaz de efetuar o rastreio de diversos tipos de munições, dotando o Exército Brasileiro com uma nova capacidade. O equipamento integra o Programa Estratégico do Exército Astros 2020.

O objetivo principal do sistema é apoiar a pesquisa, o desenvolvimento e a avaliação do míssil tático de cruzeiro MTC-300 e do foguete guiado SS-40G, projetos do Astros 2020, e de outros projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) de engenhos em voo da base industrial de defesa e segurança (BIDS) e das Forças Armadas.

O Strev é um desenvolvimento da Omnisys, empresa brasileira que oferece uma linha completa de soluções para instrumentação de centros de lançamento de mísseis e foguetes, sendo a principal fornecedora de sensores para os centros de lançamento das Forças Armadas do Brasil.

Basicamente, o STREVI funciona como um radar de trajetografia em banda C de alta precisão para aferir a posição e realizar o rastreio, indicando a trajetória realizada, de foguetes, mísseis, aeronaves (tanto tripuladas quanto não tripuladas) e outros engenhos a grandes distâncias.

O Strev é complementado por um sistema de rastreio em banda S, empregado no acompanhamento da trajetória, aquisição e gravação dos dados enviados pelo alvo durante seu lançamento, um equipamento de rastreio óptico dotado de câmeras zoom, panorâmica e infravermelha, assim como um telêmetro laser, um sistema de monitoramento do espectro eletro-magnético, garantindo a segurança das operações, e um moderno Centro de Comando e Controle responsável pela gestão da missão, transmitindo e recebendo informações entre os demais subsistemas que integram a instrumentação do centro.

Todo esse material tecnológico está fracionado para transporte em caminhões especializados com cases construidos sob medida. O conjunto de caminhões é compatível para transporte pelos cargueiros militares C390 Millennium e C-130 Hércules.

Testes

Em 9 de junho, foi concluída a fase de testes de aceitação em fábrica (TAF), em São Bernardo do Campo (SP), nas instalações da empresa Omnisys Engenharia, cuja implantação, no CAEx, integra o projeto de instrumentação para campo de instrução (PICI) do programa estratégico do Exército ASTROS 2020.

Os TAF visaram à verificação de um conjunto de requisitos a nível componente, subsistema e integração, realizados preliminarmente aos testes de aceitação em campo do sistema, com o fim de incrementar seu funcionamento e integração.

Após o êxito na conclusão dos TAF, houve o deslocamento rodoviário do Strev, em 10 e 11 de junho, da empresa contratada, em São Bernardo do Campo (SP) para as instalações do CAEx, onde será efetuada a primeira fase dos testes de aceitação em campo (TAC) do sistema, cujo objetivo é a verificação de requisitos e a eficácia sistêmica no rastreio de engenhos em voo.

O transporte foi efetuado por militares do CAEx e apoiado pelo 8º Batalhão de Polícia do Exército (8º BPE), de São Paulo (SP), pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), de Resende (RJ), e pelo 11º Batalhão de Polícia do Exército (11º BPE), do Rio de Janeiro (RJ).

Durante os TAC, está prevista a realização da última fase do treinamento em operação e manutenção do Strev, para a capacitação de pessoal na operação do sistema nas futuras missões de rastreio demandadas pelo Astros 2020 e demais requisitantes.

Antes da missão, os militares participantes receberam as devidas orientações para o cumprimento das medidas sanitárias preventivas estabelecidas nas diretrizes do Comandante do Exército e do Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia para a prevenção e o combate à covid-19, a fim de preservar a saúde dos militares e de seus familiares, bem como manter a capacidade operativa dos quadros do Sistema de Ciência Tecnologia e Inovação do Exército (SCTIEx).

Imagens: Omnisys/CAEx



Recomendamos