Xmobots e MBDA desenvolverão drone armado com mísseis no Brasil
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Brasil (Portugués) >

Xmobots e MBDA desenvolverão drone armado com mísseis no Brasil

O Enforcer ser o primeiro míssil a ser integrado a um drone brasileiro, uma disrupção tecnológica no mercado de drones armados de baixo custo.
WhatsApp Image 2022 05 16 at 16.20.08
|

A XMobots e a MBDA assinaram um MoU (Memorando de Entendimento) para trabalhar em conjunto na prova de conceito para a integração do míssil Enforcer no RPAS Nauru 1000C.

O Nauru 1000C é o RPAS CAT 2 selecionado pelo Exército Brasileiro para missões ISTAR (Inteligência, Vigilância, Aquisição de Alvos e Reconhecimento), pesando 150kg.

WhatsApp Image 2022 05 16 at 16.20.07 (1)

A fábrica da Xmobots em São Carlos (Imagem: Xmobots)

O míssil Enfocer é um sistema de armas leves guiadas de nova geração, pesando cerca de 7kg e fornecendo a capacidade de derrotar uma ampla variedade de alvos leves e ligeiramente blindados, incluindo veículos de movimento rápido e alvos protegidos como bunkers, tocas ou trincheiras. 

A versão Enfocer Air é disparada a partir de um case com menos de 30 kg de peso total, com baixíssimo recuo no lançamento e capacidade de aceitar dados externos de sensores de aquisição e designação de alvos, exatamente o caso da suíte do Nauru 1000C, totalmente produzida e integrada pela Xmobots e capacitada para transferir os dados do alvo para os computadores do míssil, do tipo disparar e esquecer.

Com um alcance máximo de 1.800 metros a 2 km, o ENFORCER pode destruir veículos leves, viaturas militares levemente blindadas, equipamentos e veículos de emprego logístico, ou mesmo incapacitar, dependendo do ponto de impacto, carros de combate ou veículos blindados de combate, pela destruição de sensores, tornando o veículo inimigo "cego" em combate.

Seu uso como ferramenta "de degola" para ataques cirúrgicos com emprego de forças especiaiis fica ainda mais evidente com o acréscino de um RPAS CAT 2 como o Nauru 1000C no circuito, o que permite localizar, engajar e destruir alvos de alto valor sem arriscar as vidas dos operadores pilotos de drone da dupla Nauru 1000C + Enforcer AIr.

De acordo com Giovani Amianti, CEO da XMobots, além das atividades de prova de conceito, o MoU também traz a oportunidade de cooperação industrial e projetos de compensação com a indústria brasileira.

“A XMobots sempre se destacou no mercado de drones civis e por suas certificações ANAC (CAA brasileira), tornando-se a única empresa de drones com RPAS certificadas pela ANAC a voar acima de 400 pés (aproximadamente 122 metros) ou BVLOS em um alcance de 30 km. A entrada no mercado de Defesa em 2019 trouxe o objetivo de atender demandas recorrentes das Forças Armadas Sul-Americanas. Essa parceria com a MBDA consolida nossa capacidade tecnológica, colocando o Brasil em um grupo diferenciado de países que desenvolvem e produzem drones armados”, explica Amianti.

WhatsApp Image 2022 05 16 at 16.20.08 (1)


“Um ponto relevante é o fato de o ENFORCER ser o primeiro míssil a ser integrado a um drone brasileiro, o que resultará em uma disrupção tecnológica no mercado de drones armados de baixo custo, já que os mísseis ENFORCER e os RPAS Nauru 1000C são significativamente pequenos e leves, e ambos apresentam uma excelente relação custo-benefício”, elogia Amianti.

Patrick de La Revelière, vice-presidente da MBDA para a América Latina, disse: “Estamos muito satisfeitos em estabelecer formalmente nosso novo relacionamento com a XMobots. Este MoU demonstra mais uma vez nosso compromisso com parcerias de longo prazo com a indústria brasileira. Por meio da cooperação industrial, a MBDA continuará fortalecendo nossos laços com organizações brasileiras para criar tecnologias de primeira classe para as Forças Armadas Brasileiras, após projetos anteriores de transferência de tecnologia bem-sucedidos no Brasil. Estamos ansiosos para trabalhar com a XMobots, aprofundando assim nosso relacionamento estratégico para o futuro”.

A MBDA é o único grupo de defesa europeu capaz de projetar e produzir mísseis e sistemas de mísseis que correspondem a toda a gama de necessidades operacionais atuais e futuras das três Forças Armadas (terrestre, naval e aérea). 

A empresa, de propriedade conjunta da Airbus (37,5%), BAE Systems (37,5%) e Leonardo (25%), fornece às Forças Armadas Brasileiras mísseis de defesa aérea de curto alcance Mistral, todas as três versões do míssil antinavio Exocet e os sistemas de defesa aérea Sea Ceptor, entre outros, no programa de fragatas classe Tamandaré. 

A MBDA também se orgulha de oferecer mísseis de classe mundial, como o Meteor (selecionado pela FAB para os F.39 Gripen), Brimstone e ASRAAM, entre outros, para aeronaves de combate.

WhatsApp Image 2022 05 16 at 16.20.07




Recomendamos


Lo más visto