menú responsive
AMÉRICA | Defensa
-/5 | 0 votos

Novo radar M200

EPEX estima o plano de defesa aérea para 2039 do Brasil em US $ 734,4 milhões


Programa Estratégico do Exercito Defesa Antiaerea


04/10/2019 | Belo Horizonte

Roberto Caiafa

O Exército Brasileiro tem desenvolvido programas estratégicos de defesa com foco em alta tecnologia e autonomia.

Alguns desses programas foram expostos nesta quarta-feira (2) em audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT).

Entre eles, o de Defesa Antiaérea, que prevê produção de um radar que será único no mundo.

Os senadores ouviram o chefe do Escritório de Projetos do Exército, general Ivan Ferreira Neiva Filho.

Ele afirmou que o programa de Defesa Antiaérea integra as três Forças Armadas e compreende uma série de sistemas de controle, alerta, radares e comunicações.

— É um sistema de sistemas. Na verdade, existem diversos sistemas que são integrados para conseguirmos proteger os nossos ativos, a nossa infraestrutura, o nosso território de uma possível incursão inimiga. E cada vez mais é uma vulnerabilidade que nós temos que fazer face, porque as ameaças existem — afirmou.

Segundo Ivan, o Brasil estava defasado nessa área de defesa e, por meio do programa, está tentando recuperar a capacidade de se defender contra ataques aéreos. Ele explicou que o país utiliza o radar M 60, fundamental para o sistema de defesa de baixa altura.

O equipamento foi desenvolvido e desenhado e tem sido construído em Campinas (SP).

Outro radar que, em um ou dois anos, será utilizado pelo país é o M 200, que alcança 200 quilômetros de distância e tem uma tecnologia altamente sofisticada, segundo o general.

— Pouquíssimos países têm essa capacidade de ter um radar com essa configuração. Talvez, deste modelo, com essa mobilidade, da forma como nós estamos desenhando e com esse protótipo, seja o único no mundo. Isso vai nos trazer um ganho de qualidade, de possibilidade, não só de emprego tático, mas também é um desenvolvimento tecnológico novo, é uma possibilidade de exportação, de emprego e renda, extremamente relevante — disse.

De acordo com Ivan, todo o programa de Defesa Antiaérea está planejado para se concluir em 2039 e precisaria de cerca de R$ 3 bilhões em investimentos, ou seja, R$ 110 milhões por ano.

No entanto, o general afirmou que o orçamento destinado ao Exército está em torno de R$ 30 milhões anuais.

 © Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje