Suécia oferece ao Brasil sua ajuda para garantir a segurança no Rio 2016
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Defensa (Portugués) >

Suécia oferece ao Brasil sua ajuda para garantir a segurança no Rio 2016

Brazuca sueco 2016
|

Integrantes das Forças Armadas do Brasil e da Suécia participaram do 3º Encontro Bilateral do Grupo de Defesa Brasil-Suécia, evento realizado no Ministério da Defesa (MD), em Brasília na última segunda feira (15/2), tendo como principal objetivo identificar possibilidades de cooperação e de trocas de experiências entre as forças de ambos os países.

Na atualidade, o Brasil opera diversos equipamentos bélicos de origem sueca, como os canhões antiaéreos Bofors, os mísseis MANPADS RBS-70, os radares de busca e aquisição Giraffe, e futuramente, 36 caças de 4ª geração Saab Gripen NG.

O planejamento de segurança para os Jogos Olímpicos Rio 2016 e os desafios do evento foram amplamente debatidos no encontro, já que além da grandiosidade e complexidade dos Jogos em si, será a primeira vez que uma Olimpíada acontece na América do Sul.

As ações de defesa nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos para este ano estão destacadas no planejamento para o enfrentamento do contraterrorismo e nos treinamentos conjuntos para que a atuação das Forças esteja coordenada nos eventos, e também, quais deficiências precisam ser corrigidas, como mudanças de planejamentos e aquisição de novos equipamentos.

Visando apoiar esses preparativos e estreitar a parceria, os militares da Suécia ofereceram ao Brasil cursos na Unidade de Defesa Sueca, que funciona como um departamento de pesquisa conjunto e atende às três Forças do país.

Uma dessas unidades é o “Nordic Center for Gender in Military Operations (NCGM)” ou Centro Nórdico de Gênero em Operações Militares, organização que já tem parcerias firmadas com Finlândia, Noruega e Dinamarca.

As primeiras reuniões exploratórias entre Brasil e Suécia começaram ainda em 2014, em solo brasileiro. Em junho de 2015 ocorreu a segunda reunião do grupo de trabalho em Estocolmo, capital sueca.

Durante os encontros anteriores, foram debatidos diversos pontos de interesse em possíveis áreas de cooperações. No atual estágio, os dois países já realizam trocas de experiências em áreas específicas, como, por exemplo, a de defesa cibernética, quando uma delegação sueca visitou o Centro de Defesa Cibernética (CDCiber) do Exército, em Brasília.

Além disso, novos eventos estão sendo programados, como destaca o coronel Werner Wilhelm Bonnet, gerente da sessão de cooperação internacional do Ministério da Defesa brasileiro “Estamos programando visitas com o objetivo de conhecer os centros de simulação e os jogos de guerra que a Suécia tem desenvolvido. A Suécia ofereceu ao Brasil a oportunidade de conhecer equipamentos de radares que operam em baixa frequência. É interessante estudar o caminho de pesquisa que o país adotou”.

Na reunião, também foi debatida a participação brasileira no exercício conjunto de forças de paz “Viking 18 Exercise – Peace Support” (Exercício Conjunto de Apoio à Paz).

“Para isso, vamos participar do planejamento, que deverá ocorrer ainda esse ano. Pretendemos enviar militares para as reuniões de planejamento do exercício, que envolve não só as forças armadas suecas, mas também vários órgãos, inclusive a Organização das Nações Unidas”, afirmou Bonnet.

Imagens: Ministério da Defesa/Thiago Pedrezani/Roberto Caiafa



Recomendamos