Brasil busca empresa para modernizar 201 blindados 6x6 EE-9 Cascavel
EDICIÓN
| INFODRON | INFOESPACIAL | MUNDOMILITAR | TV
Tierra (Portugués) >

Brasil busca empresa para modernizar 201 blindados 6x6 EE-9 Cascavel

O veterano ENGESA EE-9 Cascavel, quase 50 anos em serviço
|

O Subprograma Forças Blindadas (SPrg F Bld), integrante do Programa Estratégico do Exército Obtenção da Capacidade Operacional Plena (Prg EE OCOP) determinou* a modernização de até 201 viaturas blindadas de reconhecimento Engesa EE-9 Cascavel, ou seja, metade da frota restante do Exército Brasileiro (avaliada em pouco mais de 400 exemplares) deverá prestar mais quinze anos de serviço após receber a modernização.

Um tributo a um blindado cuja folha de serviços é espetacular para um quase cinquentão cujo DNA pode ser traçado desde a 2ª Guerra Mundial.

Considerado “pé no chão”, o programa de modernização prevê a revitalização de suspensões e motores dos carros selecionados, completa revisão mecânica de componentes, modernização do sistema de controle de tiro com adição de computador balístico e telêmetro laser (medidor de distâncias), substituição do giro da torre com introdução de um punho de prioridade para o comandante do blindado, e a modernização dos optrônicos da guarnição, finalmente permitindo operar, ver e identificar/engajar alvos a noite/tempo adverso com eficácia.

A VBR EE-9 Cascavel modernizada deverá possuir também um Sistema de Comando e Controle C2 interoperável com o C2 da Nova Família de Blindados Sobre Rodas do Programa Guarani, permitindo a comunicação segura entre diferentes tipos de veículos blindados do Exército.

Não haverá alteração no nível de proteção blindada básica de toda a plataforma veicular, ou seja, o carro continua confiando em velocidade e mobilidade para sobreviver, já que também não irá receber adição de proteções passivas ou ativas (blindagem = chapas de aço balístico de 8 mm).

O Projeto não deverá contemplar alteração no armamento principal, permanecendo em uso o veterano canhão Cockerill de 90 mm capaz de disparar granadas HEAT e HET.

Entre as empresas internacionais que já demonstraram interesse em participar do programa, a israelense Elbit Systems e a alemã Rheinmettal são as que possuem as propostas mais conhecidas.

Anteriormente, duas empresas brasileiras apresentaram conceitos para a modernização desses carros, a Equitron Automação Eletrônico Mecânica Ltda, de São Carlos (SP), com a viatura conceito EQ-12, e a Columbus Comercial Importadora e Exportadora Ltda, de São Paulo (SP), especialista em programas de recuperação e revitalização de viaturas da ENGESA no Brasil e exterior.

*Boletim do Exército nº 51, de 18 de dezembro de 2020

Imagens: Roberto Caiafa



Recomendamos